<
>

Caio Bonfim conquista a medalha de prata no GP de Dudince de marcha atlética

O brasileiro Caio Bonfim estreou na temporada internacional de 2023 neste sábado com a medalha de prata nos 35 km da 42ª edição do Dudince 50, na Eslováquia, prova válida pelo circuito ouro da World Athletics Race Walking Tour. O marchista completou as 35 voltas no circuito de 1 km, montado no centro da cidade, em 2h27min30, ratificando o índice para o Mundial de Budapeste, na Hungria.

“Foi um grande resultado por ser a primeira prova internacional do ano e nos 35 km. Temos muita coisa ainda para ajustar e melhorar, mas o resultado foi excelente, verdadeiramente muito bom”, comentou Gianetti Bonfim, treinadora e mãe de Caio. “Temos mais provas nos próximos meses, vamos aprimorar para chegar ao Mundial de Budapeste em ponto de bala”, completou Gia, como é conhecida, referindo-se à competição que será disputada de 19 a 27 de agosto.

Caio Bonfim venceu no último dia 5, em Brasília, a prova dos 20 km da Copa Brasil Loterias Caixa de Marcha Atlética. Foi a 12ª conquista do atleta de 32 anos na competição na categoria adulta.

O vencedor da prova em Dudince foi o mexicano José Luís Doctor, com 2h26min37. O chinês Lihong Cui ficou em terceiro lugar, com 2h29min00. Os outros brasileiros ficaram assim colocados: Max Santos foi o 22º, com 2h39min22, seguido de Diego Pereira Lima em 31º, com 2h46min38, e de Rudney Nogueira em 35º, com 2h53min39. Matheus Gabriel de Liz não completou a prova.

Índice de Érica

A prova feminina dos 35 km marcou a volta de Érica Sena às competições, depois do nascimento de seu filho Kylian Andrés, ocorrido no dia 14 de junho de 2022, em Cuenca, no Equador. Ela terminou em quinto lugar em Dundice, com 2h47min59, obtendo a quaificação para o Mundial da Hungria (o índice exigido é de 2h51min30).

“Foi bom o retorno. Estamos indo com calma nos treinos, com muita vontade de voltar a competir forte. Nosso objetivo principal são os Jogos Olímpicos de Paris-2024”, lembrou a atleta de 37 anos. “Mas competi em Dudince com o foco na marca do Mundial”, concluiu a brasileira, que comemorou o resultado com o filho e o marido Andrés Chocho.

Uma das atletas mais vitoriosas na América do Sul na modalidade – é recordista brasileira dos 20 km, com 1h26min59 -, Érica voltou muito bem. A peruana Kimberly Garcia, campeã mundial no Oregon-2022 nos 20 km e nos 35 km, bateu o recorde mundial da especialidade, com 2h37min44, seguida da chinesa Hong Liu (2h40min06) e da equatoriana Magaly Bonilla (2h46min32).

Na prova dos 20 km, o Brasil teve apenas uma representante: Gabriela de Souza Muniz terminou em sexto lugar, com o tempo de 1h36min29. O pódio foi formado pela mexicana Alegna González (1h28min09), a portorriquenha Rachelle de Orbeta (1h31min11) e a mexicana Sofia Ramos Rodríguez (1h34min22).

A tradicional competição eslovaca recebeu a inscrição de 320 atletas, representando 32 países, número recorde de participantes quer em termos individuais quer no número de nações.