<
>

Tite vê Brasil com outros valores além de Neymar, elogia Coutinho e indica trio de ataque para pegar o Equador; veja

play
Tite responde como sente ausência de Neymar e diz por que acredita em Coutinho: 'A gente vai deixar que o campo fale' (1:17)

Antes de enfrentar o Equador pelas eliminatórias, Tite deu entrevista coletiva nesta quarta-feira (1:17)

Técnico da seleção brasileira falou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (26), na véspera da partida contra o Equador, em Quito, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo


Líder isolado das eliminatórias sul-americanas e já classificado para a Copa do Mundo do Catar, já neste ano, a seleção brasileira volta a campo nesta quinta-feira (26), às 18h, no Estádio Rodrigo Paz Delgado, em Quito, para compromisso contra o Equador, que ainda busca uma vaga no Mundial. Antes da partida, o técnico Tite concedeu entrevista coletiva e, além de indicar o seu trio de ataque para o jogo, também falou da ausência de Neymar e elogiou Philippe Coutinho.

Sobre a escalação para o confronto, Tite deixou claro que não abrirá mão do seu trio de atacantes no sistema tático e ainda indicou Vinicius Jr., Matheus Cunha e Raphinha como os prováveis tirulares na frente.

"O tripé da frente, dos homems de lado, como a equipe se moldou e se apresentou bem, dar continuidade sim. A Vinicius Jr, Raphinha, Cunha, e a gente ter essa amostragem e essa sequência, que vai se mostrando. Do meio para trás, a estruturação e o posicionamento, ele se mantém, do meio para frente, ele está se mostrando. Eu não consigo ver sub ideia de futebol, fazer dois atacantes centrais, dois volantes fixos e uma lacuna no meio-campo onde possa ter um articulador, um pensador. Eu concebo futebol, eu penso futebol sempre conter jogadores, ou que eles são de lado, que flutuem e organizem, ou se de frente, que possam exercer uma função de meio-campista, criativo. Atacar é com quanto a gente chega e não com quantos temos", começou por dizer.

Questionado sobre a ausência de Neymar, que por conta de uma entorse no tornozelo ficou de fora da convocação, Tite lamentou que o camisa 10 não possa estar neste momento com a seleção, mas deixou claro que o time também tem outros valores, e que a prioridade deve ser sempre o coletivo.

Na mesma resposta, o comandante da Amarelinha ainda citou o meia Philippe Coutinho. Tite reafirmou a sua confiança no jogador, que recentemente deixou o Barcelona por empréstimo para o Aston Villa, na Premier League, justificando novamente a sua convocação.

play
0:57

Seleção brasileira no 4-2-4? Tite dá resposta definitiva: 'Não consigo ver'

Antes de enfrentar o Equador pelas eliminatórias, Tite deu entrevista coletiva nesta quarta-feira

"Eu quero ter sempre o Neymar, mas por vezes as situações não ocorrem dessa forma. Esse fortalecimento da equipe, a equipe é sempre o marco mais forte, a equipe é sempre a direção maior, o objetivo maior, a responsabilidade maior. Às vezes porque a equipe ela carrega e aparecem as individualidades acabam acontecendo. A gente fica sentido com o Neymar, mas têm também outros valores, qualidades para tal. Estou falando do Couto [Coutinho], ele é um jogador da função e eu acredito na qualidade dele, falando com o nicho futebol. Nós acreditamos nele. Falando para um nicho um pouquinho mais amplo, para o espectro social, do humano, da pessoa, eu seu todo o lado humano de investimento nele, particular e desafiador de se recuperar da sua lesão", começou por dizer.

"É esse o sentido. De termos esses três jogadores da frente, sim, por quê? Porque fizeram um grande jogo no último jogo, dar essa continuidade. Mas como vai acontecer posteriormente, aí a gente vai deixar com que o campo fale, as atuações falem, mas essa importância no conjunto todo, ela sempre, para nós, é uma essência", finalizou.

Com 35 pontos em 13 jogos até o momento e ainda invicto nas eliminatórias, o Brasil tem 6 pontos de vantagem sobre a Argentina, que é a vice-líder. Após o Equador, a seleção encara o Paraguai, na terça-feira (1), às 21h30, no Mineirão, em Belo Horizonte.