<
>

Brasil não passa da Argentina e encerra participação no Mundial de futsal

O Brasil não aproveitou um bom volume diante da Argentina nesta quarta-feira e encerrou sua participação na Copa do Mundo de futsal. Em partida válida pela semifinal da competição, a seleção rival levou a melhor por 2 a 1.

A Canarinho sai com cinco vitórias, uma derrota, 24 gols marcados e apenas seis sofridos. Na primeira fase, o Brasil passou por Vietnã, República Tcheca e Panamá. Nas oitavas de final, vitória por 4 a 2 sobre o Japão. Nas quartas, venceu o Marrocos por 1 a 0 e chegou à semifinal de um Mundial nove anos depois.

Agora a Argentina pega Portugal ou Cazaquistão na final. Esta segunda semifinal acontece nesta quinta-feira, às 14 horas (de Brasília).

O jogo – A Seleção Brasileira começou com uma marcação muito alta e os destaques da etapa foram os goleiros. Aos cinco minutos, Pito deixou os argentinos congelados. Ele avançou pela direita, ganhou de Vaporaki e chutou, mas a bola explodiu na trave. Aos sete, Pito deixou com Marlon, que chutou de letra e parou na defesa do goleiro argentino.

Aos oito, Marlon perdeu a bola para Brandi. O camisa 11 avançou e quase abriu o placar para Argentina, mas Guitta salvou. Arthur entrou no jogo e logo no primeiro lance soltou uma bomba contra o gol argentino. Sarmiento fez defesa importante e tirou com o pé.

O Brasil não soube aproveitar a superioridade. Aos 11 minutos, Bolo Alemany lançou para Borruto, que recebeu e mandou para o fundo das redes, sem chances para Guitta.

Dois minutos depois, Rescia ficou com a sobra e tocou para ele novamente, Borruto. O camisa 9 chutou de primeira e anotou o segundo do jogo. Aos 17, Pito tocou para Ferrão, que empurrou para dentro do gol e descontar no placar para o Brasil.

No segundo tempo, o roteiro foi dramático para o Brasil. O time tentava, mas a melhor oportunidade foi aos 15 minutos. Marlon encontrou Pito na área. Ele girou e chutou buscando o ângulo, mas a bola saiu pela esquerda. No fim, nem mesmo a utilização de um goleiro-linha foi suficiente para os brasileiros reverterem o placar.