<
>

Flamengo: Bruno Henrique mira Copa do Mundo com a seleção e lamenta ausência na Copa América

Após anotar um hat-trick e "comer a bola" na goleada por 5 a 1 do Flamengo sobre o São Paulo, no último domingo, o atacante Bruno Henrique concedeu entrevista exclusiva ao SportsCenter, da ESPN Brasil, nesta segunda-feira.

Falando sobre a goleada no Maracanã, o camisa 27 exaltou o espírito de luta dos rubro-negros após saírem atrás no placar e revelou que os atletas do Fla sentiram o cansaço do Tricolor, o que fez com que eles aumentassem a intensidade no ataque e construíssem um placar elástico.

"Dentro de campo eu sou até um pouco explosivo, mesmo. Isso é o que eu consigo demonstrar dentro de campo. Sou um cara que nunca vou desistir, um cara aguerrido, que luta sempre. Sempre vou lutar, mesmo quando não der certo. E, quando der certo, eu vou ficar muito contente", afirmou.

"Foi assim no nosso primeiro gol. A gente conseguiu no cansaço deles, a gente sentiu que eles cansaram. Eles têm um time leve, com jovens, e correram bastante. Nós, com a nossa experiência, conseguimos ir pelos atalhos para conquistar essa vitória diante do São Paulo", explicou.

Bruno Henrique também foi só elogios ao recém-chegado técnico Renato Gaúcho, que vem conquistando ótimos resultados desde que assumiu o Mengão no lugar de Rogério Ceni.

De acordo com o atacante, Renato tem uma alegria "contagiante", o que faz com que o futebol dos atletas flua melhor em campo.

"Renato trouxe essa alegria para o Flamengo. É um cara super alegre, contagiante, brincalhão. Estamos nos dando muito bem com ele. As coisas fluem dentro de campo quando a gente tem um treinador que dá essa confiança para a gente, e a gente consegue desempenhar um bom futebol", salientou.

Autor de 9 gols em 25 partidas na temporada, Bruno Henrique também contou seu principal objetivo para os próximos meses: estar na seleção brasileira que disputará a Copa do Mundo 2022, no Catar.

O atleta do Fla, aliás, lamentou o fato de não ter sido chamado pelo técnico Tite para a última Copa América, já que, na sua opinião, ele merecia estar no elenco.

"Fazer parte da seleção brasileira é o sonho de todo jogador. Tive a oportunidade de estar lá em dois jogos, me senti super bem. Acho que eu merecia estar lá na Copa América, não aconteceu", pontuou.

"Deus sabe de todas as coisas, então eu vou continuar trabalhando pelo clube, porque aqui que vai abrir a porta para uma ida à seleção brasileira ou até mesmo para a Copa do Mundo", finalizou.