<
>

CBF demite funcionários ligados a Rogério Caboclo após encerramento da Copa América

play
Com ajuda de Matheus Cunha, Daniel Alves vira 'comissário de bordo' em viagem da seleção olímpica ao Japão (0:36)

Via @CBF_Futebol | Dani Alves gastou o espanhol no microfone, enquanto Cunha deu as orientações aos passageiros (0:36)

Antes mesmo de uma decisão final da comissão de ética sobre as acusações de assédio contra Rogério Caboclo, o comando atual da CBF já toma medidas visando minimizar a influência do cartola afastado nos corredores da entidade.

Nos últimos dias, dois funcionários da confiança de Caboclo foram demitidos da confederação: Thiago Jannuzzi e Valesca Araújo.

Com a carreira ligada aos órgãos de organizações de torneios no Brasil, Thiago Januzzi foi gerente de competições da CBF nos últimos anos e, desde abril, ocupava a função de gerente comercial.

Extremamente ligado a Caboclo e sem gozar mais da confiança da atual diretoria, ele foi demitido. Recentemente, Jannuzzi foi acionado pelo presidente afastado para ser um dos “cabeças” da realização da Copa América sediada no Brasil no último mês. Membros da alta cúpula da confederação não gostaram de saber que ele mantinha contato frequente com Rogério ao longo das últimas semanas.

Outra vasta experiência em organizações de eventos, Valesca Araújo também era bastante ligada a Caboclo pela mesma relação. Levada do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014 para a CBF no ano seguinte, foi gerente de desenvolvimento do futebol feminino, gerente de projetos de desenvolvimento, gerente das seleções de base femininas e, mais recentemente, era gerente de escola de futebol feminino, outro cargo ligado à CBF Academy.

Dupla de confiança também “afastada”

A CBF ainda rompeu com outros dois nomes ligados ao presidente afastado. Prestadores de serviços dos mais frequentes nos últimos anos, Ricardo Trade, o “Baka”, e Jacqueline Barros não trabalharão mais para a confederação. Ao menos enquanto o grupo atual - Coronel Nunes e outros vices - estiver no comando.

Responsável pela organização da Copa América 2021 e amigo de longa data de Caboclo pelo trabalho em parceria em outros órgãos de organizações de torneios, Trade prestava serviço como consultor técnico da CBF Academy – academia de cursos para a formação e atualização de profissionais do futebol.

Jacqueline foi outra que trabalhava para Caboclo, ajudou a tocar a Copa América às pressas e acabou dispensada. Nome de confiança do presidente afastado, ela assumiu o cargo de secretária pessoal do cartola quando a pessoa que ocupava o posto se afastou após realizar gravações acusando o chefe de assédio moral e sexual.

O movimento de afastar a “tropa de choque” de Caboclo não ocorre por acaso. A diretoria que assumiu o comando interino não quer ter mais pessoas ligadas ao antigo mandatário dentro do prédio da entidade. Há um temor que informações estratégias da guerra pelo poder circulem de dentro para fora do prédio.

Procurada pela reportagem do ESPN.com.br, a CBF informou que não comenta assuntos dessa natureza.