<
>

Copa América: Por que Everton Ribeiro não conseguiu brilhar pelo Brasil contra a Colômbia?

play
Vitor Birner diz que sair atrás do placar foi uma 'benção' para seleção brasileira (2:14)

Com gols de Firmino e Casemiro, Brasil venceu a Colômbia por 2 a 1 na Copa América (2:14)

O meia Everton Ribeiro vinha em ótima crescente na seleção brasileira nesta Copa América. Após entrar muito bem nas vitórias sobre Venezuela e Peru, visivelmente melhorando o time (e inclusive marcando um gol contra os peruanos), o atleta do Flamengo ganhou chance de ser titular contra a Colômbia. No entanto, sua atuação não correspondeu às expectativas na última quarta-feira.

"Encaixotado" entre linhas compactadas pelos marcadores colombianos, muito mais altos e fortes fisicamente, Everton não conseguiu impor seu ritmo e executar o plano de Tite e pouco municiou os atacantes Gabriel Jesus e Richarlison.

Ainda mais porque os cafeteros saíram na frente logo aos 10 minutos do 1º tempo e, na sequência, se retraíram durante toda a partida (algo raríssimo no Brasil de Tite, que só levou o gol inaugural da partida em 8 ocasiões).

Bastante apagado, ele acabou substituído no intervalo por Roberto Firmino, que entrou muito bem e deu mais força à linha de frente canarinho na etapa complementar.

Tanto é que foi o jogador do Liverpool o responsável por anotar o gol de empate brasileiro, atuando bem próximo de Neymar e alternando funções de "9" e "10" durante o tempo em que esteve em campo.

Segundo os números do DataESPN, Everton tentou 22 passes durante o tempo em que esteve em campo, acertando 19 e errando 3.

O aproveitamento não foi ruim (praticamente 87%), mas o problema foi justamente a distribuição das bolas.

play
2:14

Vitor Birner diz que sair atrás do placar foi uma 'benção' para seleção brasileira

Com gols de Firmino e Casemiro, Brasil venceu a Colômbia por 2 a 1 na Copa América

De acordo com seu mapa de passes certos, 7 deles foram para atrás, 8 para o lado e só 4 para frente.

Ou seja: entre todos os toques certos do meio-campista durante o 1º tempo, apenas 21% foram para frente.

Confira o mapa de passes totais na imagem abaixo:

Veja os passes detalhados:

Passes para frente

5 tentados, 4 certos


Passes para o lado

10 tentados, 8 certos


Passes para trás

7 tentados, 7 certos


Os números comprovam que o camisa 11 não conseguiu distribuir o jogo como Tite queria, até também pela qualidade do gramado, bastante criticado pelo técnico da seleção após o confronto.

Em sua coletiva depois da vitória brasileira, Tite admitiu que Everton Ribeiro não encaixou no jogo como ele imaginava, e salientou que foi Lucas Paquetá, que entrou no 2º tempo, que conseguiu fazer melhor o papel esperado na armação do meio-campo.

"Hoje o Paquetá trouxe uma contribuição muito importante, que no outro jogo (contra o Peru) tinha sido o Everton (Ribeiro que havia trazido). Mas hoje não deu (para Everton Ribeiro atuar bem), porque a característica do jogo foi outra", apontou.

Everton, no entanto, segue em alta com a comissão técnica, e ainda pode ganhar mais uma chance contra o Equador, neste domingo, às 18h (de Brasília), em Goiânia, pela última rodada do grupo B da Copa América.

A seleção, aliás, retoma os treinos nesta sexta-feira, na Granja Comary, às 15h30 (de Brasília).