<
>

Grupo de mulheres volta a protestar contra Rogério Caboclo na porta da CBF

Um grupo de cerca de 25 mulheres protestou contra o presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo, nesta sexta-feira, em frente à sede da entidade, no Rio de Janeiro.

Foram levadas faixas para o protesto, com mensagens como "Assédio é crime" e "Fora, Caboclo". As mulheres não foram atendidas por ninguém da CBF durante as cerca de duas horas de protestos.

Elas gritaram palavras de ordem contra o mandatário e pediram a expulsão do dirigente, que foi afastado pelo Comitê de Ética da CBF. Esse é o segundo protesto na sede da CBF desde que Caboclo foi afastado.

O cartola enfrenta denúncias gravíssimas de assédio sexual e moral feitas por uma funcionária da organização.

Em entrevista exclusiva à ESPN, Caboclo garantiu ser inocente e disse que irá provar.

"Eu não posso falar nada sobre isso porque tudo será tratado na minha defesa. Eu sou inocente. Tenho absoluta certeza de que vou provar isso. E não há dúvida nenhuma de que voltarei [à presidência da CBF]. A minha família toda está me apoiando, minha mulher, meu filho, meus pais, minha ex-mulher", salientou.

O dirigente está fora de suas funções na CBF por 30 dias, mas o período pode ser prorrogado pelo Comitê de Ética.

Após o afastamento do presidente, quem assumiu interinamente o comando do futebol nacional é Antônio Carlos Nunes de Lima, o Coronel Nunes, um dos oito vices da CBF.

“O presidente da CBF, Rogério Caboclo, vem recebendo o apoio cada vez maior de presidentes de federações e clubes para o seu retorno ao cargo, na medida em que fica claro o plano arquitetado por Marco Polo Del Nero, ex-presidente da CBF, banido do futebol e investigado pela Justiça, que quer tirá-lo da Presidência para voltar a comandá-la através do seu maior aliado entre os vice-presidentes, até o final do atual mandato", disse Caboclo, por meio de nota.