<
>

Copa América: Tite diz que terá 'bom senso' para não desfalcar brasileiros e comenta situação da Colômbia

play
Tite convoca seleção brasileira com Dani Alves, Veríssimo, Éverton Ribeiro e Gabigol; veja a lista completa (1:30)

Weverton (Palmeiras), Lucas Paquetá (Lyon) e Vini Jr. (Real Madrid) também aparece na convocação brasileira (1:30)

Nesta sexta-feira, o técnico da seleção brasileira, Tite, convocou os atletas para os próximos jogos das eliminatórias da Copa do Mundo 2022, contra Equador e Paraguai. Foram chamados quatro jogadores de times do Brasil: Gabigol e Everton Ribeiro, do Flamengo; Weverton, do Palmeiras; e Daniel Alves, do São Paulo.

Os atletas desfalcarão suas equipes em partidas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, o que já começa a preocupar torcedores para a lista da Copa América, competição que ampliará ainda mais o número de ausências de jogadores nas competições nacionais.

Em sua coletiva desta sexta, Tite não quis adiantar detalhes da convocação para o torneio da Conmebol, mas prometeu que terá "bom senso" para não gerar muitos desfalques nos times brasileiros durante a disputa do certame sul-americano, que está marcado para acontecer entre 13 de junho e 10 de julho deste ano.

"Perguntas sobre a Copa América eu vou responder quando estiver chegando a Copa América. Não dá, neste momento, para querer antecipar situações, etapas, competições, jogos. Não dá. A responsabilidade, no momento, é nesses jogos das eliminatórias", afirmou o treinador.

"Claro que, depois, a gente vai ter bom senso (na convocação da Copa América). Ninguém aqui é insensível. Mas também sabemos que a seleção brasileira tem uma responsabilidade muito grande. No momento, porém, estamos só pensando nesses dois jogos (das eliminatórias) inicialmente", completou.

Tite também foi questionado sobre a situação política delicada da Colômbia, país que é sede da Copa América.

Nos últimos dias, protestos contra a reforma tributária aprovada pelo Governo e conflitos entre população e polícia geraram caos no país, o que afetou também os jogos da Conmebol Libertadores por lá.

A partida entre América de Cali e Atlético-MG, por exemplo, teve que ser interrompida cinco vezes na última quinta após os jogadores sentirem os efeitos do gás lacrimogênio que estava sendo usado pela polícia para dissipar protestos.

O coordenador de seleções da CBF, Juninho Paulista, mostrou preocupação com o cenário, já que o Brasil jogará na Colômbia durante a Copa América.

"A gente vem acompanhando essa situação da Colômbia. Falamos com a Conmebol diretamente. Estamos conversando com eles e demonstrando nossa preocupação. Não somos nós que definimos onde será a competição, é a Conmebol. Mas deixamos claro que não queremos que aconteça na Copa América o que aconteceu ontem no jogo entre América de Cali e Atlético-MG", sentenciou.

Tite completou: "O mais importatne é a integridade física dos atletas. Nós estamos acompanhando tudo, sim. Tenho a mesma ideia que o Juninho. Tem outras alçadas que são importantes, mas temos essa preocupação (com a situação na Colômbia), sim", finalizou.