<
>

UFC: Bate-Estaca revela mudança de estratégia na última hora para nocautear rival

play
Sensação do UFC, Chimaev tenta derrubar Cormier no meio de hotel, e lenda tira onda com o garoto (0:41)

Antigo campeão dos pesados e dos meio-pesados já foi um dos melhores lutadores de wrestling do mundo (0:41)

A estreia de Jéssica Bate-Estaca na categoria peso mosca (57 kg) do UFC não poderia ter sido melhor. A brasileira nocauteou Katlyn Chookagian, número um do ranking da divisão, ainda no primeiro round, em evento que foi realizado em Abu Dhabi (EAU), no último sábado (17). Mas o que nem todo mundo sabia é que a estratégia que deu certo para a lutadora conseguir esse resultado foi definida minutos antes do combate.

Durante sua apresentação, Jéssica abusou de golpes no corpo para minar a resistência da adversária e deu certo para alcançar o nocaute. A ex-campeã do peso palha (52 kg) da organização admitiu que esse não era o plano inicial para o confronto, mas, após uma instrução de Gilliard Paraná, seu treinador, ela decidiu seguir essa ideia.

“Na verdade aqueles golpes no corpo foi algo que o mestre (Gilliard Paraná) me falou no vestiário. Ele mudou a estratégia toda e falou para eu acertar o corpo, que ela ia sentir, tinha perdido muito peso, estava desgastada. Era para acertar o corpo que ia nocautear e acabou funcionando. O mestre fala e dá certo”, disse a brasileira, em coletiva de imprensa após o evento, antes de completar qual era sua antiga tática.

“A estratégia antes era trocar, agarrar e botar para baixo. Mas ele (Paraná) depois falou para eu assistir algumas lutas da Katlyn e disse: ‘Acho que dá para a gente trocar com ela e acertar a linha de corpo que ela vai sentir e a luta vai acabar’. Os chutes entraram, quedas entraram. Tudo que eu treinei funcionou. No vestiário ele falou de novo: ‘Filha, acerta o corpo’. Na hora que pegou na boca do estômago e ela gritou ‘Ai’, eu achei que tinha acabado a luta e o mestre gritou para eu ir para cima e deu certo”, concluiu.

Questionada sobre seu futuro no Ultimate, Jéssica não descartou ficar na divisão dos moscas nas suas próximas apresentações, mesmo que não receba a chance de lutar diante de Valentina Shevchenko, atual campeã. A brasileira aprovou seu rendimento na categoria e confia que pode ser uma estrela na até 57 kg.

“Eu me senti muito bem na categoria, então é uma possibilidade (se manter na divisão), até porque a idade está chegando, vai ficando mais difícil perder peso. Pode ser no futuro seja a minha categoria. Estou aqui para o que precisar, se o UFC quiser no 66 kg ou 61 kg. Acho que posso fazer a diferença nessa categoria e fazer shows nessa divisão”, contou.