<
>

Para o UFC 253, Ketlen Vieira promete versão mais madura e estratégica após lições

Neste sábado (26), Ketlen Vieira vai voltar a pisar no octógono mais famoso do mundo após nove meses de espera. A brasileira, que teve sua luta adiada por quatro vezes neste ano – em decorrência de imprevistos devido à pandemia de coronavírus, problemas com visto para entrar nos Estados Unidos e com mudanças de adversárias – encara Sijara Eubanks, no UFC 253. E no que depender da atleta da equipe ‘Nova União’, o público pode esperar sua versão mais madura e estratégica no evento que acontece na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU).

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, a lutadora revelou que tirou lições importantes da sua última apresentação, quando foi derrotada por Irene Aldana, em dezembro de 2019. Naquela época, quando ainda era invicta no MMA, Ketlen confessou que não deu atenção para as instruções de sua equipe e se deixou levar para a emoção. Porém, desta vez ela garante que não vai cometer o mesmo erro e que pretende escutar todas as instruções de Marcos ‘Loro’, que será o único membro em seu córner.

“A luta contra a Aldana me ajudou a amadurecer. As coisas aconteceram muito rápido na minha vida. Quando entrei no MMA já fui logo para o UFC, peguei as tops, então nem tive aquele tempo de amadurecer. Acho que faltou alguma coisa. Cada luta a gente aprende. Agora quero ouvir meus córners e fazer tudo que eles falarem. Acho que uma coisa que errei muito e me custou a vitória contra a Alanda foi não ter escutado meus córners. Sempre quando venci foi assim e esse é o caminho”, disse a brasileira, que recentemente teve a baixa de ‘Dedé’ Pederneiras em sua equipe, após teste positivo de COVID-19.

Ketlen Vieira já esteve cotada para atuar em São Paulo e Las Vegas (EUA) nas suas apresentações anteriores, que acabaram canceladas. Agora confirmada na ‘Ilha da Luta’, a peso galo (61 kg) aprovou poder atuar em um local que tem sido bastante badalado pela mídia e aponta essa chance como marcante em sua carreira.

“(A ‘Ilha da Luta’) É um marco histórico no MMA. Vai ser bom futuramente eu poder contar que passamos por uma dificuldade, foi criada uma ‘Ilha da Luta’ e eu pude ter o prazer de lutar lá. Estou feliz de poder participar desse marco na história”, explicou.

Quando sua luta foi marcada para Abu Dhabi, Ketlen iria enfrentar Marion Reneau, mas faltando praticamente uma semana para o combate, sua rival se machucou e deu lugar para Eubanks. Com pouco tempo para realizar possíveis mudanças na estratégia, a atleta e sua equipe parecem terem optado pela manutenção do treino que vinha sendo feito.

“A estratégia é a mesma. A Sijara também é uma faixa-preta, de grande qualidade, que nem a Reneau. Não tem como dizer que uma é mais difícil que a outra, por mais que tenha me preparado para a Marion. Vai ser sempre uma luta dura. Vou buscar imprimir meu jogo e acho que quem fizer isso primeiro vai levar uma vantagem. Quero voltar a figurar entre as principais lutadoras da divisão. Estou 100%, sem lesão e quero me manter mais ativa agora, fazer a categoria rodar mais”, completou.

Ketlen Vieira mira se recuperar dentro da organização. Depois de uma sequência de quatro triunfos, incluindo sobre nomes como Cat Zingano e Sara McMann, a brasileira acabou superada por Irene Aldana, em dezembro de 2019, por nocaute. A peso galo soma dez vitórias e apenas uma derrota em sua carreira no MMA.