<
>

UFC: Deiveson agradece confiança de Dana, dá recado a rivais e dispara contra Cejudo

Deiveson Figueiredo vai enfrentar Cody Garbrandt em sua primeira defesa de cinturão do peso mosca (57 kg) do Ultimate. O duelo vai acontecer no dia 21 de novembro, no UFC 255, ainda sem local confirmado pela franquia. Após grandes apresentações, principalmente no duelo que lhe deu o título, no dia 18 de julho, quando finalizou Joseph Benavidez, o brasileiro caiu nas graças do presidente da organização, Dana White.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o paraense comemorou ter a confiança do dirigente. Deiveson adiantou que o mandatário não vai se arrepender em apostar as suas fichas nele e confirmou seu desejo em fazer história na categoria. De acordo com o campeão, sua intenção é ter seu nome ligado a grandes atuações.

“É bom para mim, fico feliz . Ele (Dana White) não vai se arrepender. Sempre vou treinar para ser o melhor, nocautear meus adversários. Quero que quando ouvirem falar em Deiveson Figueiredo, venha o espetáculo na mente deles. Minha luta sempre será assim. Sempre um show”, afirmou o brasileiro, que possui oito vitórias e uma derrota no UFC.

Como campeão dos moscas, Deiveson Figueiredo agora é o principal alvo de todos os atletas da divisão. No entanto, tem um atleta que, por ora, não faz mais parte do plantel do UFC que vive o provocando e diminuindo seus feitos na organização. Trata-se de Henry Cejudo, que anunciou a sua aposentadoria do MMA, em maio deste ano. O paraense afirmou que, caso se o americano mude de ideia e volte a lutar, ele vai lhe dar uma lição dentro do octógono pelo desafeto nutrir o estilo falastrão.

“O cabeçudo pode ter certeza que a hora dele vai chegar. Ele fala muita besteira. Sou um cara que não fala besteira, mostrou dentro do octógono. O dia que me colocarem frente a frente dele, ele vai ser nocauteado”, disparou o atleta natural de Soure (PA).

O último triunfo de Deiveson Figueiredo foi contra Joseph Benavidez, no dia 18 de julho, o que lhe deu o título da categoria dos moscas. Além de se tornar o primeiro lutador brasileiro campeão nesta divisão de peso no UFC, o paraense quebrou o jejum de três anos sem que o Brasil tivesse um título masculino na maior liga de MMA do mundo.