<
>

Como UFC perdeu grande oportunidade com Conor McGregor em 2020

play
McGregor contra Masvidal ou Ferguson? Cormier e Ariel Helwani discutem possíveis próximas lutas no UFC (2:17)

Discussão se estendeu até a situação de Jon Jones (2:17)

Vamos deixar algo claro logo de cara: considerando os tempos em que estamos vivendo, este tem sido um ano fenomenal para o UFC.

Antes da pandemia de coronavírus, 2020 começou incrivelmente forte. Tivemos o retorno de Conor McGregor em janeiro, uma luta entre Jon Jones e Dominick Reyes em fevereiro e uma das melhores lutas de todos os tempos entre Zhang Weili e Joanna Jędrzejczyk em março.

Que primeiro trimestre espetacular.

Então, bem, todos sabemos o que aconteceu.

Tudo parou. O mundo como o conhecíamos mudou.

Como prometido, porém, o UFC foi uma das primeiras organizações esportivas a voltar à ação durante a pandemia. O timing não poderia ter sido melhor porque em maio, junho e julho, quando as pessoas estavam famintas por esportes ao vivo, o UFC esteve no ar quase todo fim de semana. A Ilha da Luta foi um sucesso. De acordo com o presidente do UFC, Dana White, mais mercadorias foram vendidas em 2020 até agora do que no ano de 2019 inteiro.

Além de não haver venda de ingressos, não houve muito o que reclamar este ano. Do ponto de vista comercial e de relações públicas, foi um bom ano para o UFC.

Exceto por uma coisa.

Se você me perguntar, houve apenas um erro grave este ano. E infelizmente para todos os envolvidos, é um grande problema.

Estou falando de Conor McGregor.

Você se lembra do fim do ano passado, em uma coletiva de imprensa em Moscou, quando McGregor disse que lutaria três vezes em 2020?

Foi algo difícil de acreditar porque McGregor não lutava três vezes em um ano desde 2016. Mas então pensamos, “Se o UFC conseguir colocar Conor McGregor três vezes no octógono em um ano, esse ano vai ser excelente”.

Vale lembrar como McGregor lidou com a preparação para a luta com Donald Cerrone e a reação que a vitória esmagadora provocou em todos.

Você se lembra de quando ele disse que estaria disposto a lutar novamente em março? E que poderia lutar quatro vezes este ano? Mais importante, um relacionamento que tinha seus problemas parecia ter voltado a funcionar perfeitamente.

Bem, quase sete meses depois, aqui estamos, e McGregor lutou por 40 segundos em 2020. Isso é uma pena.

O UFC finalmente tem um McGregor saudável, motivado, focado, ansioso e sem problemas, e não consegue descobrir como colocá-lo de volta no octógono. Como isso está acontecendo?

É culpa do UFC que tivemos uma pandemia? Claro que não. É de McGregor? Claro que não.

Seria melhor se os fãs pudessem comprar ingressos para as lutas de McGregor? Certo. Seus eventos costumam gerar entre US $ 15 e 18 milhões de bilheteria. Isso é significativo, e eu entendo que o UFC gostaria de ganhar algum tempo para poder capitalizar em um evento com McGregor depois de tanto tempo sem fãs presentes.

Mas adivinhe: fãs vão ficar um tempo fora dos eventos do UFC. O plano de congelar é o maior atrativo que esse esporte já viu até o fim da pandemia? Isso pode significar que não vamos ver McGregor até 2022.

Eu sei que ele "se aposentou" em junho. Ninguém acredita que foi de verdade. Lembre-se, ele me disse em janeiro que nunca se aposentaria. Ele definitivamente não vai parar aos 32 anos.

Verdade seja dita, eu gostaria que ele nunca tivesse usado essa palavra porque ela mudou sua mensagem real. Isso foi um erro.

Na realidade, McGregor estava nos dizendo que estava frustrado. Ele estava cansado de esperar o UFC lhe oferecer uma luta. Ele estava cansado de ver todo mundo lutando enquanto estava em casa.

É importante notar que a situação de McGregor não é semelhante à de Jon Jones ou de Jorge Masvidal. Ele não está pedindo um aumento. Ele não está pedindo para renegociar. Ele está apenas pedindo uma luta.

Pense nisso por um segundo. A maior estrela que este esporte já viu está implorando para que arrumem uma luta para ele, e nada está acontecendo.

Não há conversas ativas, segundo fontes. Sem negociações. Não há nada. De fato, o presidente do UFC disse recentemente que, para ele, McGregor está aposentado, e White garantiu que o irlandês não lutará novamente em 2020. O que acontecerá em 2021 é incerto, e embora White não pense que McGregor vá permanecer aposentado, ele disse que não há planos neste momento para uma luta envolvendo McGregor em 2021.

Como isso está acontecendo? Antes da pandemia, o assunto era McGregor voltando em 11 de julho contra Justin Gaethje. Me disseram que, em meados de fevereiro, ele estava pedindo para voltar. O UFC queria que ele fosse um substituto caso algo acontecesse com Khabib Nurmagomedov ou Tony Ferguson antes da luta marcada para abril. No início do ano, McGregor disse que estava em forma caso um desses dois lutadores não pudesse competir, o que parecia razoável, considerando que a luta já havia sido marcada quatro vezes antes. Mas quando a luta foi cancelada pela pandemia e a proibição de viajar foi posta em prática, a porta foi aberta para Gaethje lutar em 9 de maio contra Ferguson em Jacksonville, na Flórida. Por fim, Gaethje ganhou o cinturão interino. De qualquer forma, McGregor não estava interessado em ser o substituto. Ele queria uma luta garantida. Eu não o culpo por isso.

Você viu os números de PPV em julho para o UFC 251? Alguém tem alguma dúvida de que McGregor poderia ter conseguido quase dois milhões de compras se ele estivesse nesse evento? Eu não, já que os esportes americanos ainda estavam começando a voltar.

Mas agora já era. A NBA está de volta. O mesmo para MLB e a NHL.

Isso não quer dizer que uma luta envolvendo McGregor não seria grande para o UFC. Seria enorme. Não tenho dúvidas sobre isso e você também não deveria ter.

Sim, o UFC tem eventos principais marcados até outubro. Entendi. Eu sei que ele não vai compartilhar a conta com, digamos, Nurmagomedov dentro de alguns meses. Mas quer saber? Os tempos são muito diferentes. Você não precisa reservar locais ou vender ingressos. Você pode fazer um evento para McGregor em qualquer dia da semana. Caramba, você pode fazer um evento de uma luta só, e isso atrairia mais de um milhão de compras. Nunca houve uma coisa mais certa no MMA. Dinheiro fácil.

Então, qual é o problema?

Nenhum oponente? Bobagem.

Quem diria não para uma trilogia contra Nate Díaz?

Quem diria não a uma luta com Ferguson?

Quem diria não a uma luta com Jorge Masvidal?

Quem diria não a uma revanche com Dustin Poirier?

Devo continuar?

UFC e Conor McGregor: pelo bem dos fãs, vocês podem tentar resolver isso? Comecem a falar novamente. Tentem resolver isso.

Em um ano repleto de vitórias, grandes e pequenas, não deixe que o que foi uma grande vitória no começo do ano acabe se tornando o fim de um relacionamento comercial bom para os dois lados.

Porque, como ele me disse meses atrás, e independentemente do que os outros pensam, quando se trata de negócios de MMA, McGregor ainda é o cara.