<
>

UFC: Marina Rodriguez admite erros contra Esparza e revela teor de conversa com rival

Após 12 vitórias e dois empates no MMA profissional, Marina Rodriguez conheceu sua primeira derrota na modalidade. No último dia 25 de julho, a brasileira foi superada por Carla Esparza por decisão dividida dos jurados, em evento realizado na ‘Ilha da Luta’ do UFC, em Abu Dhabi (EAU), em confronto que foi marcado pelo equilíbrio entre as atletas. Depois do resultado negativo, a peso palha (52 kg) pôde analisar sua performance e apontar os erros cometidos que lhe custaram a invencibilidade na carreira.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, a brasileira admitiu que pecou ao deixar sua adversária imprimir o jogo de luta agarrada, principalmente com quedas que chamaram a atenção dos jurados e garantiram os pontos decisivos para o triunfo. Ciente de suas falhas, Marina afirmou que vai trabalhar para não repetir as brechas em suas próximas apresentações dentro do octógono mais famoso do mundo.

“Foi uma luta boa, mas cometi alguns erros que levaram ela a ter um domínio maior de tempo na luta. Damos sempre prioridades em nosso treino na parte em que minhas adversárias irão atacar, então estava bem treinada para as defesas (de queda). De 11 tentativas eu consegui bloquear cinco, mas o jogo de wrestling que ela faz a vida toda foi mais dominante em alguns momentos e fizeram a diferença no resultado. Já estamos focando mais ainda nos erros para melhorar na próxima luta”, explicou.

Assim que o resultado da luta foi anunciado, Marina e Esparza tiveram uma conversa ainda dentro do octógono. Questionada sobre o teor do bate-papo, a brasileira revelou que disse que a americana merecia disputar o título pela sua sequência de vitórias e que ainda pediu por uma revanche no futuro – pedido que foi prontamente aceito.

“Falei pra ela que ela seria a próxima desafiante ao cinturão, dada as circunstâncias atuais da categoria, e que ela melhorasse a trocação e eu ia ficar melhor em tudo para mais para frente nós nos encontrarmos de novo. Ela, bem empolgada, concordou comigo. Foi legal”, afirmou a atleta, antes de explicar sua reação com a decisão dos árbitros.

“Percebi que ela teve um domínio maior de tempo na posição de vantagem, apesar de eu ter conectado melhores golpes no chão. Mas ainda podia acontecer da minha contundência nos golpes ter feito uma diferença (no resultado), sabia que era justo o resultado final pra ela. O sinal (com as mãos) que me veio depois do anúncio foi dizendo que a luta dela foi bem amarrada, mas que cada um com seu estilo né?! (risos)”, concluiu.

Ainda no top 10 da divisão, Marina Rodriguez segue como alvo de muitas atletas do peso palha. Uma delas é Amanda Ribas, que antes do confronto da compatriota afirmou que aprovava um duelo entre elas. No entanto, embora tenha saído derrotada, a brasileira ainda não cogita tal confronto e almeja desafios com as lutadoras que estão à sua frente no ranking para ganhar posições na classificação.

“A Amanda falou que queria lutar com a vencedora da minha luta contra Carla. Ela está no direito dela em querer lutar com alguém que está na frente dela no ranking, mas penso também em sempre lutar com alguém que está a frente de mim no ranking, por isso ainda não acho interessante lutar com ela no momento. Agora ele tem que lutar com a Carla, que aceitou o desafio e venceu a luta. Estarei esperando o próximo nome que o UFC me mandar”, finalizou a atual número nove da listagem da divisão.