<
>

Nascar revela imagem de símbolo racista na garagem de piloto negro e diz que preocupação era 'real'

A Nascar concluiu nesta quinta-feira sua investigação sobre o laço de corda encontrado na garagem de Bubba Wallace na Talladega Superspeedway no domingo, com o presidente Steve Phelps dizendo "nossa reação inicial foi proteger nosso piloto".

A Nascar divulgou uma imagem do laço que foi encontrado na garagem da equipe n° 43.

Na terça-feira, o FBI determinou que Wallace não era vítima de um crime de ódio e que o laço estava na porta da garagem de Talladega Superspeedway desde outubro de 2019.

"Dados os fatos apresentados a nós, teríamos buscado isso com o mesmo senso de urgência e propósito", disse Phelps na quinta-feira. "Ao ver o laço, nossa reação inicial foi proteger nosso piloto. Estamos vivendo em um momento com uma carga emocional alta. O que vimos foi um símbolo de ódio e estava presente apenas em uma área da garagem – perto do carro 43 de Bubba Wallace.

"Em retrospectiva, deveríamos - eu deveria - ter usado a palavra ‘suposta’ em nossa declaração. ... Como você pode ver na foto, o laço de forca era real, assim como nossa preocupação com Bubba. Com emoções semelhantes, outros em nossa indústria e nossa mídia se levantaram para defender a família Nascar - nossa família Nascar - porque eles também fazem parte dela. Ficamos orgulhosos de ver tantos defenderem o que é certo ".

Wallace, o único piloto negro da Nascar em tempo integral, disse na quarta-feira ao programa First Take, da ESPN dos Estados Unidos, que estava feliz que o laço não foi planejado para ele, mas ele não acha que a investigação que se seguiu tenha sido algo exagerado.

Phelps disse que a Nascar conduziu uma varredura completa de todas as áreas de garagem em todas as 29 pistas em que correm, o que abrange cerca 1.684 garagens.

"Encontramos apenas 11 no total que tinham um laço de forca, como o descoberto no domingo na garagem de Bubba Wallace", disse Phelps.

Phelps disse que a Nascar determinou que o laço não estava na garagem antes do fim de semana de corrida de outubro de 2019, mas não foi capaz de determinar "com alguma certeza quem amarrou essa corda dessa maneira, ou por que foi feito".

"... Nossa conclusão final para esta investigação é garantir que isso nunca aconteça novamente - que ninguém passe por um laço de forca sem reconhecer o dano potencial que pode causar".