<
>

Sósia de Ronaldinho, meia Celsinho viveu 'rolê aleatório' no futebol da Rússia: medicina e cinema

O futebol russo também já teve a sua versão de Ronaldinho Gaúcho.

Em 2006, enquanto R10 brilhava com a camisa do Barcelona e seleção brasileira, em Moscou desembarcava um outro brasileiro. Rápido, habilidoso e uma cabeleira de chamar a atenção. Não se engane: apesar da semelhança, quem vestia a camisa do Lokomotiv naquela ocasião era Celsinho, meia-atacante revelado na Portuguesa um ano antes.

A chegada em solo russo foi disputada. O Lokomotiv precisou desbancar a concorrência do Porto para ficar com o jogador de apenas 17 anos. Àquela altura, Celsinho já era conhecido como o "sósia de Ronaldinho" - apelido que ainda o persegue até hoje.

Mas se dentro de campo a semelhança entre os dois se limitava apenas ao aspecto físico, fora dele os dois tinham mais em comum. E, na Rússia, Celsinho também viveu a sua versão de "rolê aleatório".

Um deles, rendeu até diploma para Celsinho. Ou, se preferir, "Doutor" Celsihho.

Acontece que o jogador, ao chegar na Rússia, acabou matriculado em uma faculdade em Moscou como parte de uma "jogada" dos russos para contratá-lo quando ele ainda era menor de idade. Entre um treinamento e outro, Celsinho frequentava as aulas de medicina.

"Eu era menor de idade e não tinha como assinar contrato. Então eles arrumaram um emprego para minha mãe e, automaticamente, ela poderia levar os filhos para morar no país. No meio disso, ela me colocou numa faculdade e lá o Lokomotiv teria me visto e contratado... Foi essa a jogada que eles fizeram", contou Celsinho em entrevista ao ESPN.com.br.

"Mas nesse meio tempo eu fui à faculdade com a minha esposa (namorada à época). Já estava ali mesmo, por que não frequentar? começamos a ir, fizemos uns seis, sete meses de aula. Depois, com o início das competições, comecei a ir menos", acrescentou.

A surpresa, no entanto, veio quando um dia ele recebeu um documento das mãos de seu intérprete. Era o diploma.

"No final de tudo acabei me formando", relembra o jogador com bom humor. "Mas nada que seja para exercer profissão. Eram só aulas teóricas, nada aprofundado."

O "rolê aleatório" na Rússia não termina aí. Além do lado "doutor", Celsinho poderia também ter se lançado na carreira de ator. Um convite para atuar justamente como sósia de Ronaldinho nos cinemas veio pouco antes dele trocar o Lokomotiv pelo Sporting, de Portugal, em 2007.

"Foi antes de eu me apresentar em Portugal. Ainda estava na Rússia, aí na época um produtor entrou em contato comigo. Não me lembro se eles fariam um filme ou um documentário sobre o Ronaldinho, ou se o Ronaldinho ia participar e precisavam de alguém com essa semelhança", relembrou o jogador.

"Acabou não saindo. Seria bacana, legal demais. A gente conversou por um tempo, mas acabou que não rolou."

Depois de deixar a Rússia, Celsinho atuou em Portugal e Romênia antes de retornar ao Brasil, em 2013, para defender o Londrina. Ele ainda passou por Fortaleza, Figueirense, Paysandu, São Bento, Água Santa, Santa Cruz e, recentemente, Vila Nova - sempre carregando a sombra de R10.

"O Ronaldinho foi meu ídolo no futebol. Mas eu falo que o fato do cabelo comprido e a aparência não tem nada a ver por conta dele. Foi por conta de uma brincadeira de amigos no interior de São Paulo (na cidade de Americana) que acabou surgindo essa semelhança. Mas ele foi disparado o meu ídolo no futebol", destacou o jogador de 31 anos.

"Para mim não faz diferença o apelido. Nunca sobrecarregou, nunca teve nenhum impacto. Nunca teve nenhum tipo de repercussão negativa ou positiva. Tudo que eu consegui foi jogando, provando dentro de campo... é questão de como aceitar tudo isso", finalizou.