<
>

Inimigo invisível: antes do coronavírus, Guerras Mundiais eram as únicas responsáveis por cancelar grandes eventos esportivos

Pela primeira vez, um inimigo invisível, o COVID-19, também chamado de coronavírus, foi responsável pelo cancelamento de três dos principais eventos esportivos de 2020 para 2021: a Copa América, a Eurocopa e, agora, os Jogos Olímpícos.

As competições de futebol estavam na agenda para serem realizadas de 12 de junho a 12 de julho. O torneio sul-americano tinha Argentina e Colômbia como sedes, enquanto o europeu teria disputada em 12 cidades de 12 países diferentes. Com o adiamento, os locais seguem os mesmos, com as datas reagendadas para 11 de junho a 11 de julho de 2021.

Já os Jogos de Tóquio ocorreriam de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, mas, após o adiamento, o COI postergou para o período do verão do hemisfério norte do próximo ano.

Anteriormente, apenas as duas Guerras Mundiais haviam interrompido eventos deste porte. Enquanto a Primeira Guerra impediu a realização das Olimpíadas de 1916, a Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945, causou o cancelamento de duas edições da Copa do Mundo e outras duas dos Jogos Olímpicos. O Mundial não aconteceu em 1942 e 1946, voltando em 1950. As Olimpíadas ficaram fora do calendário em 1940 e 1944, retornando em 1948.

Curiosamente, a Copa América não parou por causa da Segunda Grande Guerra. A única edição não realizada foi em 1971, graças aos problemas econômicos dos países sul-americanos. Esta edição não entra na lista, já que o torneio daquele ano não chegou a ser marcado e adiado, apenas ficou definido que ele não aconteceria.

Já a Eurocopa teve a sua primeira edição em 1960, na França, quatro anos após a fundação da Uefa e 15 anos depois do fim da Segunda Guerra.

Nesta terça-feira, no mesmo dia dos adiamentos da Copa América e da Eurocopa, o COI (Comitê Olímpico Internacional) afirmou em nota oficial que, por enquanto, a edição deste ano, de 24 de julho a 9 de agosto, em Tóquio, no Japão, permanece mantida.

Apesar da mudança de data dos Jogos Olímpicos, o COI disse que eles ainda serão chamados de Tóquio 2020.

A decisão de mudar a disputa ocorre após semanas em que tanto o Comitê Olímpico quanto os membros do Comitê Organizador desejavam manter a realização dentro da programação já divulgada, sem considerar o adiamento como uma opção segura.