<
>

Quase R$ 800 bilhões no 'escuro': principal jornal do mundo contabiliza prejuízo do coronavírus nos EUA

play
Gobert diz que está melhorando e afirma: 'Gostaria de ter levado isso mais a sério' (0:52)

Pivô do Utah Jazz foi o primeiro a testar positivo para o coronavírus (0:52)

US$ 160 bilhões. Ou mais de R$ 777 bilhões. Nem o 11 de setembro ou a crise financeira em 2008 foram tão sombrias para o mundo dos esportes nos EUA. Ou seja, a fortuna esportiva está no escuro.

É esta a análise do jornal “The New York Times” diante do golpe financeiro do coronavírus nos esportes. As consequências do cancelamento ou adiamento dos jogos são amplas e transitam em várias áreas. Uma delas é o efeito potencialmente grave para atletas, equipes, ligas e organizações e dezenas de milhares de pessoas que trabalham nestes eventos esportivos.

Claro que LeBron James deixa de ganhar uma fortuna cada vez que não entra em quadra, mas o buraco é mais profundo. Jogadores das ligas menores de beisebol, por exemplo, precisam de dinheiro para alugar e comer. Ou equipes de hóquei de grama universitárias dependem da poupada verba de basquete da NCAA para financiar suas próprias temporadas.

Recessão e esportes, aliás, são palavras que andam distantes. A grande maioria das organizações esportivas passou com tranquilamente pelo 11 de setembro ou pela crise financeira de 2008. Agora, o esporte está no meio do furacão, afinal, quanto mais gente junta, maior o risco da disseminação do coronavírus.

Veja como o coronavírus está afetando algumas das principais ligas esportivas dos EUA:

NFL

play
0:59

Dana White tenta trazer Tom Brady para Las Vegas: 'Nós queremos você nos Raiders'

Presidente do UFC falou com astro da NFL

É a liga com os problemas menos urgentes, já que a temporada terminou no começo de fevereiro. O primeiro impacto deve ser sentido no Draft, que segue marcado para começar em 23 de abril e também servirá para lançar a mudança dos Raiders de Oakland para Las Vegas. Por enquanto, tudo segue como previsto.


MLB

play
2:44

Paulo Antunes explica 'trapaça' do Houston Astros na MLB e aprova punições à franquia

Equipe foi punida e, agora, liga deve anunciar a sanção do Boston Red Sox

A MLB ainda não está na ativa, mas os treinos de pré-temporada foram cancelados e a abertura foi adiada para meados de abril. Independentemente da data, o impacto vai variar de equipe para equipe.

Os Mariners de Seattle, um dos focos do coronavírus, podem ter mais problemas para atrair os torcedores ao seu estádio do que as equipes que jogam em áreas com menos casos. Outro ponto: as franquias que possuem suas próprias redes de TV podem enfrentar um duplo golpe - nenhuma receita com ingressos e pouco conteúdo para suas emissoras.


NHL

Talvez seja a liga mais acostumada com a não-realização de jogos. O locaute, a greve dos patrões, já causou o cancelamento da temporada 2004-2005 e reduziu 2012-2013 para 48 jogos. Mas os locautes têm suas peculiaridades: neles, a liga não precisa pagar as equipes, e as equipes não precisam pagar os jogadores, além de abrir espaço nas agendas das arenas para shows e outros tipos de uso.

Agora, não será assim.

E há outra questão crucial: como a audiência de TV não é das mais empolgantes nos EUA, a liga depende mais da venda de ingressos do que qualquer outra no país.


NCAA

A associação arrecadou mais de US$ 1,1 bilhão (R$ 5,35 bilhões) em seu último ano fiscal, com mais de US$ 1 bilhão (R$ 4,86 bilhões) proveniente de direitos de televisão e marketing. Outro ponto: serão muitas dezenas de milhões de dólares perdidas em vendas de ingressos.

O discurso é que a NCAA priorizou a saúde ao dinheiro. Mas o segundo ponto logo será um fator a ser debatido, graças ao plano da associação de distribuição de verbas para as conferências. E ele funciona primordialmente de acordo com o desempenho das equipes no torneio masculino de basquete. Esse dinheiro financia outras modalidades esportivas de cada universidade. Como vai ficar? Ainda não está claro.


Tênis e golfe

play
1:35

Bruno Soares lamenta 'máfia' de apostas no tênis: 'É uma tentação muito grande; tem gente que cai'

Tenista brasileiro relatou a triste realidade de alguns atletas

É cedo dizer qual será o impacto, depende se os eventos poderão ser reagendados. Os jogadores têm contratos independentes e perdem milhões coletivamente se não puderem competir por prêmios em dinheiro.

No golfe, as entidades de caridade tendem a ser as mais prejudicadas. A maioria dos torneios pertence a organizações sem fins lucrativos, que transferem seus ganhos para instituições locais de caridade. Em 2019, foram arrecadados US$ 204 milhões (quase R$ 1 bilhão).


Esportes de combate

play
1:47

Dana White minimiza dificuldade de fazer eventos em meio ao caos do coronavírus: 'Estou acostumado'

Chefão do UFC disse que lutas seguiram acontecenndo e serão realocadas

Os verdadeiros perdedores aqui são os lutadores, que são pagos, praticamente em todos os casos, apenas quando competem. O Bellator cancelou seu evento na última sexta-feira. O UFC Brasília aconteceu, mas de portões fechados. Dana White disse que não vai parar com os eventos.


MLS e NWSL

O calendário ajuda: a MLS acabou de começar, e a Liga Nacional feminina de futebol Feminino ainda não, dando às equipes tempo para compensar os jogos perdidos.