<
>

Lista de favoritos a assumir Boca após eleição tem mentor de Riquelme e Ricardo Gareca; veja cotados

play
Personalidade, 'animal', perfeito e encantador: torcida do Boca Juniors opina sobre Guerrero (1:03)

Atacante é sondado para defender os argentinos na próxima temporada (1:03)

O Boca Juniors está à procura de um novo treinador para a próxima temporada. Gustavo Alfaro, que comandou o time neste ano, não seguirá no cargo, e vários nomes vêm sendo cotados ao longo das últimas semanas.

Luiz Felipe Scolari, que deixou o Palmeiras em setembro, chegou a ser especulado, mas, segundo o jornal Olé, não está na lista de desejos da chapa que venceu a eleição no último domingo.

De acordo com a publicação, Miguel Ángel Russo, atualmente no Cerro Porteño, aparece como favorito para ocupar o cargo partir do ano que vem.

Mas há outros nomes em pauta, incluindo outro treinador que já treinou o Palmeiras: Ricardo Gareca, técnico da seleção peruana.

Além deles, Sebastián Battaglia, ídolo do clube, José Pékerman, ex-técnico da Colômbia, Reinaldo Rueda, técnico do Chile, e Gabriel Heinze, do Vélez Sarsfield, também são cotados em La Bombonera.

No último domingo, a chapa de Jorge Ameal e Mario Pergolini, com Riquelme como segundo vice-presidente, venceu a eleição histórica para a presidência do Boca Juniors no último domingo e comandará a instituição até 2023.

O grupo de oposição ganhou força com a incorporação de um dos maiores ídolos do clube e derrotou o "oficialismo", movimento formado pelo então presidente Daniel Angelici, que comandava os xeneizes há 24 anos.

As duas eliminações recentes contra o maior rival, River Plate, na Libertadores, os protestos que rondaram as eleições e a presença do ídolo em uma das chapas fez com que a votação contasse com um recorde de votantes, totalizando 38.363.