<
>

Ex-judoca olímpico Mario Sabino é morto por colega da Polícia Militar

play
Kimono ou chuteira? Sarah Menezes revela habilidade nos gramados e paixão por jogar futebol (1:05)

Atleta do Flamengo, Sarah diz que antes do judô, pensou em seguir carreira no futebol (1:05)

Na noite da sexta-feira, o ex-judoca olímpico e cabo da Polícia Militar, Mario Sabino, foi morto na região centro-oeste do estado de São Paulo. Segundo informações preliminares da PM, ele foi assassinado pelo sargento Agnaldo Rodrigues (do Centro de Operações da Polícia Militar, Copom), que se suicidou em seguida. Os corpos foram encontrados no bairro Jardim Niceia, em Bauru.

Sabino tinha 47 anos de idade e, além de policial, atuava como auxiliar técnico da delegação brasileira feminina de judô. Como lutador, representou o Brasil nas Olimpíadas de 2000 (Sydney) e 2004 (Atenas). O ex-atleta ainda foi medalhista de ouro no Pan-Americano de 2003 e bronze do Mundial de Osaka no mesmo ano.

Em nota oficial, a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) se pronunciou a respeito da morte. “A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mário Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro”, escreveram.

Flávio Canto, ex-judoca e apresentador de televisão, fez uma postagem em seu Instagram lamentando o ocorrido. “Sem palavras ainda. Nosso amigo de tantas lutas partir desse jeito”, diz a mensagem.