<
>

Estrela no Havaí, apresentador da ESPN revela preferência de jogo universitário a NFL e sonha com volta dos Sonics

play
Apresentador da ESPN pede volta dos Sonics e manda recado ao Brasil (0:56)

Neil Everett, apresentador do SportsCenter Los Angeles, foi o convidado da semana do Papo Antunes desta semana (0:56)

Funcionário da ESPN há 19 anos, tendo trabalhado os últimos 10 na Califórnia, Neil Everett, apresentador do SportsCenter Los Angeles, foi o convidado da semana do Papo Antunes e falou sobre sua paixão por futebol americano universitário, pediu pela volta do Seattle SuperSonics para a NBA e revelou como virou amigo de um de seus ídolos da infância.

Natural de Oregon, nos Estados Unidos, Everett começou a se destacar na carreira no Havaí, onde, além de trabalhar em uma faculdade, ele foi âncora de uma filial local da ABC. Por isso, até hoje, quando ele vai ao estado norte-americano, é tratado como uma estrela de cinema.

“Em Oregon eu não sou muito reconhecido na rua. Mas, no Havaí, eu sou gigante. E não é por causa do surfe”, brincou o apresentador.

Apaixonado por esportes, Neil chegou a jogar futebol americano como guard durante o ensino médio, sendo eleito até o melhor da cidade em sua posição. Contudo, atualmente, ele não gosta de assistir aos jogos da NFL, por causa do comportamento de alguns atletas da liga, e revelou que prefere assistir o universitário, onde a essência do jogo ainda existe.

“Não sou um grande fã da NFL. Muitos caras que só querem a atenção neles. Tipo, eu fiz um tackle de três jardas e nós estamos perdendo por 30 a 0. E o cara comemora. Eu fico ‘Para, para’. Eu prefiro futebol americano universitário. Eu gosto da torcida, gosto da energia do estádio”, explicou o âncora.

Já na NBA, Everett é torcedor do Portland Trail Blazers e assiste aos jogos do time desde a infância. Mesmo não sendo um dos mais fanáticos pela franquia, ele pediu a volta do rival Seattle SuperSonics para a liga: “Eu sempre torço para os Blazers. Mas eu não vou deixar de dormir caso não vençam. Sou nascido em Portland, mas os Sonics, salvem os nossos Sonics!”.

Ser torcedor dos Blazers rendeu uma das amizades mais inesperadas para Neil. Quando criança, ele ia aos jogos da franquia para ver seu ídolo Bill Walton. Anos mais tarde, por causa do trabalho, ele acabou realizando o sonho de não só conhecer o ex-jogador da NBA, mas também virar um companheiro dele.

“Meus pais se divorciaram quando eu era jovem, meu pai foi para Portland, e nós íamos visitá-lo. Ele tinha ingressos em 1976, 1977. Eu era fã de Bill Walton, e anos depois eu o conheci. Ele me chamou para jantar na casa dele, eu fiquei pensando: ‘Caraca, não posso fazer besteira’. O Bill Walton tem sido meu ídolo por toda a vida, e agora é meu amigo. E esse é um dos grandes presentes desse trabalho”, relembrou Everett.