<
>

Filipe Luís defende presença de pai de Neymar no vestiário da Seleção

O pai de Neymar entrou no vestiário da Seleção Brasileira no estádio Mané Garrincha, em Brasília, assim que o camisa 10 deixou o campo por causa de um problema no pé direito. Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF, foi consultado e, das tribunas, autorizou a abertura do local.

Tite também fez questão de elogiar a postura de todos logo após o amistoso com o Catar, e bateu de frente com quem criticou o privilégio.

Nessa terça-feira, foi a vez de Filipe Luís também de posicionar, e defender a presença do pai do atleta dentro do vestiário, lugar sempre muito respeitado para os atletas.

“De jeito nenhum. Incrível…”, iniciou o lateral, aparentemente inconformado com quem se incomodou com os fatos.

Filipe Luis costuma fazer apostas com Neymar na concentração da Seleção Brasileira (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

“Eu, quando quebrei a perna em 2010, a primeira pessoa era minha esposa, no vestiário. Estava com o pé todo virado e eu queria estar com ela, e ela foi junto na ambulância. Única coisa que ele queria talvez fosse o pai dele dando um abraço, se tivesse a mãe era a mãe… Vestiário é sagrado, mas obviamente que não é assim. Em um momento desse aí acho que foi a melhor decisão”, completou.

A ausência de Neymar na Copa América foi outro ponto abordado por Filipe Luís, que é amigo e fã declarado do atacante do PSG. David Neres deve ser o substituto no time titular do Brasil e da mesma forma tem a confiança do companheiro mais experiente.

“No mundo, na vida, nunca tem ninguém insubstituível. Grandes estrelas serviram a seleção brasileira e deixaram de jogar. Não temos outro Neymar, qualidade única, um jogador diferente, a equipe adversária tem de gastar dois ou três jogadores para poder parar. Com certeza perder o Neymar é complicado. Muita gente acha que não, mas obviamente a qualidade que ele tem não existe em outro jogador brasileiro”, disse.

“O Neres é um grande jogador, é novo, mas a gente vê esse atrevimento nele, ele quer, vai para cima e isso ajuda muito. A gente precisa desses jogadores sem medo, que não percam a confiança. Para fazer gols precisamos dessa ousadia”.

Apesar do corte forçado em função da lesão, Neymar continua participando das conversas do grupo que segue focado na Copa América, a começar dia 14, no Morumbi, com o confronto entre Brasil e Bolívia.

“A gente fala diariamente, ele está no nosso grupo do whatsapp, a gente conversa toda hora, um cara sempre presente, um dos nossos líderes, um peso imenso no nosso vestiário. Ele transmite essa imagem positiva, de que ele está bem. Já passou, mas a gente precisa que ele dê essa força. Estamos aqui, queremos ganhar”, concluiu.