<
>

Roland Garros: Boca livre seduz mais que Nadal x Federer, deixa lugares vazios e faz torneio improvisar torcedor e criar 'overbooking'

play
Rafael Nadal faz reflexão após conquistar Roland Garros pela 12ª vez e se diz 'satisfeito' (1:25)

O espanhol precisou de pouco mais de 3 horas para vencer o austríaco Dominic Thiem por 3 sets a 1 (6-3, 5-7, 6-1 e 6-1) e levar o título no saibro francês. (1:25)

No último domingo (09), Rafael Nadal conquistou Roland Garros pela 12ª vez. Mas o fato curioso aconteceu na semifinal masculina e durante o início da final feminina.

Os lugares reservados para patrocinadores e autoridades costumam ficar vazios na hora do almoço na quadra Philippe Chatrier, a principal de Roland Garros. Isso porque as pessoas que ganham o ingresso preferem aproveitar as comidas e bebidas servidas ao invés de ver a partida.

Foi aí então que os organizadores do evento encaminharam seus funcionários para preencher esses assentos que estavam por hora vazios, segundo o site Reuters.

No jogo entre os ícones Federer e Nadal por exemplo, o estádio não estava lotado. A organização considerou até colcaor em prática um sitema de “overbooking”, parecido com as companhias aéreas e hotéis, para ter certeza que as cadeiras ficassem ocupadas.

Mas foi no sábado, em email enviado a seus funcionários, que a Federação Francesa de Tênis (FFT) ofereceu a eles a chance de ver o jogo nos lugares vazios.

“Por causa das mudanças no cronograma para amanhã, 8 de junho, a organização do torneio tem o prazer de autorizar os funcionários da FFT (crachás pretos e cinzas) e seus particulares (crachá branco com listras pretas) a acessarem os boxes a partir das 12h para assistir ao fim da semifinal masculina e ao início da final feminina”, disse a FFT, no email que a Reuters teve acesso.

Os funcionários ainda foram orientados a retirarem os crachás e serem discretos, e não falar sobre isso nas suas redes sociais