<
>

Campeão de Wimbledon cogita aposentadoria de Federer

Apesar de ser considerado por muitos o maior tenista da história, Roger Federer começa a colecionar alguns resultados inesperados nos últimos anos, sendo a última delas a eliminação nas oitavas de final do US Open para o australiano John Millman. Para Pat Cash, campeão de Wimbledon em 1987, esse momento é importante para que o suíço reflita sobre sua carreira.

“Pode ser que Federer não tome a decisão de aposentar e que sua parada seja iminente, mas também pode pensar que já fez o suficiente. Quando começa a se aproximar do fim de sua carreira, essas derrotas chegam, ficam mais constantes e você se fica se perguntando o que aconteceu, quais foram as mudanças”, afirmou o ex-tenista australiano.

O histórico atleta australiano continuou falando sobre a possibilidade real de Federer para de jogar profissionalmente. Para Cash, o avanço da idade é algo que não tem como evitar, pois seu desempenho começa a mudar e não consegue mais produzir o que conseguia quando era mais jovem.

“Isso é algo que inevitavelmente chega para todos, não tem como fugir. Você começa a encarar derrotas que não tem explicação e a fazer jogos ruins, que você não estava acostumado. Começa acontecendo de vez em quando e logo passa a ser uma situação mais constante. É aí que você precisa decidir se vai continuar jogando ou se vai parar em definitivo”, finalizou Pat Cash.

A derrota para Millman e a queda precoce no Aberto dos Estados Unidos não mudou muito a situação de Federer no ranking mundial, já que continua na segunda posição. No entanto, a distância para o atual líder Rafael Nadal continua alta (quase 2000 pontos de diferença) e o suíço pode ser ultrapassado nas próximas semanas para Novak Djokovic, que subiu para terceiro após o título americano.