<
>

Gabriel Medina disputará competição em Fernando de Noronha

O Oi Hang Loose Pro Contest 2019 está voltando em grande estilo à Fernando de Noronha. O atual bicampeão mundial de surf, Gabriel Medina, está confirmado no QS 6000, da World Surf League (WSL), de 19 a 24 deste mês, e encara a disputa como preparação para o tricampeonato mundial, pela qualidade das ondas da Praia da Cacimba do Padre.

“Espero que tenha tubos. Com certeza, vai ser show de surf”, afirmou Medina, que competiu nas duas últimas edições do Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha. Foi o nono colocado em 2011, superado pelo também paulista Hizunomê Bettero, e o quinto em 2012, parando nas quartas-de-final, na bateria vencida pelo catarinense Jean da Silva, que acabou como vice-campeão daquela edição. “Lembro bem da disputa com o Hizu. Ele tirou um dez”, recordou o bicampeão mundial.

Além de Medina, o Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha terá outros nomes de ponta do Circuito Mundial entre os 144 inscritos de 20 países. A seleção brasileira no CT também contará com Italo Ferreira, Yago Dora, os novatos no Tour, Peterson Crisanto e Deivid Silva (campeão do último Hang Loose Pro Contest, em 2017, na Praia de Maresias), e Jadson André, de volta à elite.

Atletas que já disputaram a elite mundial fazem parte da relação dos confirmados: Miguel Pupo e Alejo Muniz (os dois últimos que venceram o evento em Noronha, em 2012 e 2011, respectivamente), Ian Gouveia, Wiggolly Dantas, que são excelentes tube riders, Tomas Hermes e Alex Ribeiro. Outra presença confirmada que já esteve entre os melhores do Mundo é o experiente Paulo Moura, especialista em tubos e um grande conhecedor das ondas de Noronha, considerada a “sua segunda casa”.

Na lista dos destaques, aparece Mateus Herdy, que em dezembro conquistou o título mundial pro júnior, da WSL, e no QS chegou muito perto de uma vaga para a elite. O francês Joan Duru é mais um talento do CT inscrito. Também com vivência na elite mundial estão garantidos o espanhol Aritz Aranburu, que já levantou o caneco em Noronha, e o norte-americano Nat Young.