<
>

Brasil tenta coroar sua melhor temporada no surfe com título de Medina ou Filipinho

Temporada de Ouro da Geração de Ouro: o ano de 2018 da WSL foi o melhor da história para os brasileiros. Nas águas desde março, a chamada 'Brazilian Storm' reinou nas praias da elite do surfe como nunca e agora vai em busca do título mundial com Gabriel Medina e Filipe Toledo para consagrar o campeonato perfeito.

Das 10 etapas até agora, os atletas ‘brazucas’ levaram nada menos que oito delas, perdendo apenas na inaugural em Gold Cost (Austrália), e a nona etapa, em Landes (França). Em ambos, o vencedor foi o australiano Julian Wilson, que é justamente o único que ainda compete com os brasileiros pelo título, mesmo após fraturar o ombro em janeiro.

2015 x 2018

O rendimento atual da geração de ouro já superou até o de 2015, o melhor ano do país até então, com seis triunfos.

Adriano Souza, o Mineirinho, levou o título mundial daquela temporada e, pela primeira vez, três brasileiros fecharam o Top 5 do ranking mundial: Mineirinho (1º), Gabriel Medina (3º) e Filipe Toledo (4º).

Esse ano temos uma ligeira melhora nas posições: Medina e Filipe Toledo brigam pelo título (em 1° e 2° lugar respectivamente), e ítalo Ferreira ocupa a 4º posição.

Com 13 surfistas na disputa, o número de brasileiros na elite também ultrapassou o de 2015, até então recorde, com 11.

Esta é ainda a primeira temporada em que o Brasil é o país com mais atletas no Tour. A Austrália, que até 2017 detinha a superioridade, tem agora 8 atletas no campeonato.

E parece que essa geração ainda vai surfar na elite do circuito mundial por muito tempo. A média de idade dos brasileiros no primeiro escalão do esporte é de 25,8, enquanto a média do restante dos surfistas é de 27, 8 anos de idade.

Em busca do título

Os três atletas do topo do ranking possuem chances de levar o título para casa. Medina, em primeiro lugar, será coroado com a segunda taça do mundial caso chegue à final, sem nem necessidade de vencer a etapa.

Caso Medina vá até à semifinal, seus adversários necessitam vencer o evento para tirar o título dele. E em caso de Medina não ir tão bem, ficando entre a 5ª e a 25º posição, Filipe ou Julian precisam chegar até a final para se sagrarem campeões mundiais.

Não há dúvidas de que o Brasil pode fechar com chave de ouro a temporada de 2018 da WSL.

A corrida do título e toda a última etapa do Circuito Mundial está sendo transmitida AO VIVO na ESPN2 e no WatchESPN.