<
>

Medina faz sua parte, avança para terceira rodada no Havaí e segue sonhando com título mundial

Gabriel Medina, na etapa de Pipeline, no Havaí, no Mundial de surfe de 2017 Divulgação/WSL

Gabriel Medina segue vivo na briga pelo título do Mundial de surfe. Neste domingo, o brasileiro fez sua parte contra o havaiano Dusty Payne na segunda rodada e avançou para a terceira, fase em que seu rival direto pela taça, John John Florence, já havia se garantido na última segunda-feira.

Medina chegou para o duelo contra Payne pressionado, já que uma derrota significaria o fim de suas chances de brigar pela conquista mundial. Para ser bicampeão, o brasileiro precisa, ao menos, chegar até as quartas de final e torcer para que John John acabe, no máximo, em 13º.

Caso o havaiano, que também luta por seu segundo título, consiga ir mais longe na etapa de Pipeline, Medina precisa obrigatoriamente chegar à decisão para manter suas chances.

O primeiro passo para pensar no troféu, ao menos, foi dado por Medina neste domingo, com uma bateria segura contra Payne. O campeão mundial de 2014 largou logo com um 6,33 e depois repetiu a nota. Só que foi com um 9, em um belo tubo, que ele praticamente decidiu o confronto.

Payne até conseguiu uma boa onda, com 7,17, mas ficou longe de Medina, precisando de 8,17 para virar. O brasileiro terminou com soma de 15,33 contra apenas 8,50 do adversário.

Além de Medina, outros três brasileiros já estão garantidos na terceira rodada – Italo Ferreira, Miguel Pupo e Caio Ibelli –, além de John John e Jordy Smith, outro candidato ao título. Também com chances de ser campeão, Julian Wilson ainda precisa passar pela segunda fase.