Gabriela Moreira

Gabriela Moreira

Ídolo do Flu 'compra' final da Taça Guanabara e paga cota igual para Flamengo e Boavista

Gabriela Moreira, repórter do ESPN.com.br
Gazeta Press
Roni, ex-Fluminense
Roni, ex-Fluminense

Quem acabou feliz com o problema do Nilton Santos foi um tricolor. O ex-jogador Roni vai faturar com mais uma partida do futebol carioca em Cariacica. Ele comprou os direitos do jogo do Boavista e vai pagar cotas iguais ao time de Saquarema e ao Flamengo.

A decisão de pagar meio a meio foi tomada em função da renda de bilheteria ser dividida quando se tem um jogo entre time grande e time pequeno, com 60% para o vencedor e 40% para o perdedor. Para facilitar o acordo, os clubes decidiram dividir o pagamento pela venda do jogo.

A empresa de Roni, por sua vez, arcará com os custos de aluguel do estádio e toda a operação, mas ficará com o que for arrecadado com venda de ingressos. O valor das entradas no estádio, que tem capacidade para aproximadamente 21 mil pessoas, ainda não foi definido.  Sua empresa também pagará voos fretados para a volta das equipes.

Em 2016, quando o Flamengo mandou diversos jogos no local, o clube recebia entre R$ 425 mil e R$ 510 mil por partida. Neste mesmo ano, por exemplo, a partida contra o Nova Iguaçu foi vendida para Brasília – adquirida também pela empresa de Roni - por R$ 500 mil (com cada clube tendo recebido metade do valor). Desta vez, por ser final, a previsão é de que o valor total seja um pouco acima do teto recebido pelo rubro-negro há dois anos.

O gestor do Boavista, João Paulo Magalhães, explicou ao blog a decisão de levar o jogo para Cariacica: 

"A prioridade do Boavista e do Flamengo não é a renda. Nós estamos preocupados em fazer um grande jogo, um espetáculo, é a final da Taça Guanabara um dos torneios mais charmosos do Brasil. 

O Boavista está representando o Bangu, o Madureira, o Volta Redonda... A gente quer mostrar que o Rio de Janeiro vai além de quatro clubes".

João Paulo disse que apoia a decisão do Botafogo de vetar o usado Nilton Santos, em retaliação à comemoração com "chororô" de Vinícius Júnior: 

"O Boavista tá muito tranquilo. Eu sou Botafogo e o Boavista é uma extensão do Botafogo. Sou apoiador da atual diretoria. Adoraria jogar no Nilton Santos, mas apoio a diretoria do presidente Nelson Mufarrej".