Renato Senise

Renato Senise

A pergunta de Antonio Conte: ‘Jogador tem poder para derrubar um treinador?’


No vídeo, os principais trechos das entrevistas de Antonio Conte após a o jogo contra o Watford. Segunda derrota seguida por três gols de diferença. E a situação do treinador parece ficar a cada dia mais insustentável. 

O técnico está isolado no clube. A relação com os jogadores vem se deteriorando desde o início da temporada. Começou com a demissão de Diego Costa por mensagem de texto, após a conquista da Premier League. Título com grande participação do atacante, vale lembrar. Seguiu com a discussão com David Luiz, que fez outro destaque da temporada passada e pessoa com grande influência no grupo, perder espaço no time. A última vez que o zagueiro brasileiro havia sido titular em um jogo do Campeonato Inglês foi exatamente contra o Watford, ainda no primeiro turno. Vitória por 4 a 2, no dia 21 de outubro de 2017. Nessa segunda-feira, titular de novo contra o mesmo Watford. Após a derrota por 4 a 1, Conte disse que “são nesses momentos difíceis que você vê quem pode jogar em um clube grande. Jogar futebol em um clube grande significa que você precisa ter personalidade.” Mais um trecho que está no vídeo acima. E assim, o atrito entre técnico e jogadores continua.

A mais recente atitude que desagradou os atletas foi a maneira como Michy Batshuayi foi descartado. Conte não fez questão nenhuma de esconder que não confiava no atacante. Ele foi para o Borussia Dortmund, Olivier Giroud chegou no seu lugar, e os jogadores tiveram mais uma prova de que o treinador não os trata da maneira que gostariam. Na coletiva (também no vídeo acima), perguntado sobre o tema, Conte disse que “Você acham que os jogadores têm esse poder? Só na Inglaterra as pessoas pensam que um clube pode mandar embora um treinador porque ele não tem o apoio dos jogadores.” 

Mas não são só os jogadores não o apoiam. A diretoria também não está do seu lado. Marina Granovskaia, diretora dos Blues e principal responsável pelas contratações, não atende os pedidos do treinador. Ele queria que Matic ficasse, ela o vendeu para o rival Manchester United. Ele sonhava com Bonucci, o clube trouxe Rudiger. Ele reclama entrevista após entrevista da falta de jogadores. Roman Abramovic e companhia acham que o elenco é bom, só precisa ser bem utilizado. No vídeo acima, Conte diz que “avisou todo mundo que o caminho seria difícil”. Fala também que “às vezes, só trabalhar todo dia não é suficiente para mudar a situação.”

Por último, a imprensa. Coletiva após coletiva, entrevista após entrevista, Conte é perguntado se tem medo de ser mandado embora. Dessa vez, ele não aguentou (trecho também no vídeo acima). Disse que não tem medo, que dorme tranquilo, e que são os jornalistas que ficam criando motivos para plantar uma crise no clube. Hoje, nos jornais e televisões ingleses, claro que as críticas foram ainda mais duras.

E assim, Antonio Conte segue cada vez mais isolado. A ironia é que a parte mais importante de qualquer clube de futebol está do lado dele: a torcida. Sim, os fãs do Chelsea seguem o admirando, cantando o nome dele duas, três, quatro vezes em todos os jogos. Mas isso é tema para o próximo post…