Fernando Meligeni

Fernando Meligeni

Em tempos de muita turbulência no nosso país ler e assistir o Federer nos traz várias reflexões

Fernando Meligeni, para o ESPN.com.br
Getty Images
Roger Federer chorou após conquistar o Australian Open no último domingo
Roger Federer chorou após conquistar o Australian Open no último domingo

Roger Federer é um gênio dentro e fora das quadras. Dentro dela com seu vigésimo Grand Slam ele chega a números difíceis de serem alcançados, mas para mim o que mais impressiona é Roger Federer atleta. Roger Federer pessoa. 

Quando um cara como ele pensa em jogar tênis provavelmente não imagina ser tão conhecido, tão rico ou tão relevante para um esporte. Mais que isso, no fundo ninguém quer pagar o preço de ser famoso. Ser reconhecido, julgado todos os dias, perder sua privacidade, esperarem o tempo todo que você seja generoso. Tudo isso é uma tarefa dura ou quase impossível.

 As histórias mostram que ele é até mais competente fora das quadras do que dentro. Atitudes incríveis, querido por todos, generoso e verdadeiro são algumas qualidades que ele tem.

Mas onde quero chegar ao querer comparar esse gênio ao Brasil? Percebo que ele faz seu trabalho, trabalha duro e deixa que trabalhem. Ele não se preocupa com o que vão falar. Ele faz. Ele não fica melindrado porque alguém ganha mais jogos que ele. Ele trabalha. Ele não inveja. Ele produz.

Aqui se fala demais. Se tenta destruir e criticam nem o que pouco entendem ou conhecem. Por anos ele foi colocado em duvida porque perdia do Nadal. Vocês viram ele criticar o espanhol? Viram ele responder? Não. Ele trabalhou e nos últimos anos começou a vencer e nem por isso jogou na cara. Roger Federer nos ensina todos os dias.

Enquanto ele realiza e usa palavras como. Faça, trabalhe, propague, lute. Muitos aqui pensam e usam as palavras.  Minta, destrua, inveje, critique e ache que tem azar.

Fica a dica

Boa semana a todos