Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira

Futebol, vítima do 'Zé Regrinha'

Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br

Sexta-feira, noite fria, jogo quente em Liverpool, com o duelo entre os dois times da cidade. Os Reds venciam por 1 a 0 quando o Everton, atuando fora de casa, armou ótimo contra-ataque, finalizado com precisão por Gylfi Sigurdsson. O meia islandês empatou o placar aos 22 minutos do segundo tempo e comemorou com os torcedores azuis, concentrados justamente atrás daquela meta em Anfield Road. 


Natural em meio à temperatura do cotejo, inversamente proporcional à do ambiente — 3º centígrados com sensação térmica inferior a zero. A rivalidade à flor da pele era uma característica da disputa em campo e não havia como celebrar aquele tento sem explodir em emoção. No final, o Liverpool faria o segundo gol, vencendo e eliminando os Toffees, mas a celebração do gol ficará gravada.

Menos de 24 horas depois, Diego Costa, que até a temporada passada marcava seus gols em solo inglês, voltava a defender o Atlético em Madri. Pela primeira vez em ação no novíssimo estádio do clube, o Wanda Metropolitano, ele assinalou o segundo gol na vitória sobre o Getafe, e foi abraçar os torcedores colchoneros. Levou o cartão amarelo, como já havia sido advertido, foi expulso pelo árbitro.


José Luis Munuera Montero é o nome do apitador que mandou para fora de campo o temperamental goleador hispano brasileiro. Um "Zé Regrinha" — expressão criada pelo genial Tostão — como tantos outros que, aos poucos, matam o futebol. Falta de bom senso, de jogo de cintura, de sensibilidade na aplicação de uma recomendação ridícula. Falta de respeito com a maior festa do nosso esporte.

Coveiros do futebol, malditos sejam!

Inscreva-se no Youtube

Siga no Instagram: @maurocezar000