<
>

Diego Hypolito revela a portal que escondeu sua sexualidade por medo de perder patrocínios

Getty Images

“Quero que as pessoas saibam que eu sou gay e que eu não tenho vergonha disso”. O ginasta Diego Hypolito, medalha de prata nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, decidiu assumir que é homossexual em entrevista ao site UOL nesta quarta (8).

Em um texto escrito em primeira pessoa, o atleta, de 32 anos, não só revelou sua orientação sexual como compartilhou os motivos que o fizeram manter o fato em segredo por tantos anos.

No relato, Diego conta que teve medo da reação da família e de que sua carreira na ginástica fosse prejudicada caso revelasse que era gay.

“Todo mundo me zoava, zombava do meu jeito. Eu tinha o sonho de conseguir uma medalha olímpica e faria de tudo para chegar lá, até esconder quem eu era. Eu tinha certeza que se um dia eu saísse do armário publicamente, perderia patrocínios e minha carreira seria prejudicada”, escreveu.

Apoio da irmã, Daniele

Diego conta que teve o apoio incondicional da irmã, a também ginasta Daniele Hypolito, quando resolveu se abrir com a família. A mãe do atleta, no entanto, não reagiu muito bem à notícia na época.

“Estava me preparando para o Mundial da China, em 2014, quando tomei coragem para contar para a minha mãe. Não tinha coragem de falar por telefone, então, de novo, escrevi uma mensagem. Ela ficou um tempo sem responder e quando respondeu não foi muito gentil. Sendo eu o filho mais próximo, deve ter sido muito difícil para ela também”, disse.

Por vergonha, o ginasta ficou quase um ano afastado da família, mas afirma que atualmente tem uma boa relação com os pais.

Trotes abusivos na ginástica

Diego revelou ainda que foi vítima de trotes abusivos na ginástica quando era mais novo. “Eu preciso falar sobre essas coisas para que elas nunca mais se repitam. Ninguém precisa passar pelo que eu passei para ser campeão. Não existe vitória a qualquer custo”.

Diego Hypólito começou a praticar ginástica aos 7 anos por incentivo da irmã, Daniele. Começou a carreira em 2001, em campeonatos juvenis. No ano seguinte, com 16 anos, conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato Brasileiro Sênior e participou do Mundial de Londres. Em 2016, nos Jogos do Rio, conquistou sua primeira medalha olímpica: uma prata no solo.