<
>

Instituto Península e CPB lançam curso gratuito para capacitação de professores de educação física

Curso promove a inclusão dos alunos com deficiência na Educação Física Daniel Zappe/CPB/MPIX

Cerca de 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Para uma sociedade mais inclusiva, é importante ensinar lições de respeito e empatia aos jovens ainda no ambiente escolar. Uma das ferramentas mais eficientes para isso é, sem dúvidas, o esporte.

Pensando nisso, o Instituto Península, organização social que tem como objetivo a melhoria da educação brasileira, e o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro) lançaram nesta semana o curso de ensino à distância "Movimento Paralímpico: Fundamentos Básicos do Esporte".

O objetivo é capacitar 100 mil professores de educação física de todo o país até 2025, sobre diferentes modalidades esportivas adaptadas para pessoas com deficiência.

Por meio do Impulsiona, iniciativa que capacita docentes a disseminarem os valores e práticas do esporte nas escolas, o Instituto Península e o CPB oferecem o conteúdo totalmente gratuito.

Com carga horária de 40 horas, o curso é dividido em quatro módulos sobre a história dos esportes paralímpicos, as principais regras de cada modalidade e entrevistas com atletas brasileiros.

Os professores que cumprirem todas as etapas do curso em até 60 dias ganham um certificado assinado pelo Impulsiona, CPB e Ministério da Educação.

Além de promover a inclusão dos alunos com deficiência na educação física, o curso também gera empatia nos jovens sem deficiência.

“A educação física melhora o desenvolvimento cognitivo e é uma ferramenta pedagógica de inclusão dos alunos com deficiência. Não queremos fazer esporte paralímpico para paralímpicos. Queremos fazer para todos, da forma mais inclusiva possível”, explica Vanderson Berbat, diretor do Impulsiona.

Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, também frisou a importância do professor de educação física neste processo.

“Não dá para mensurar a relevância que o trabalho do professor de educação física tem para a transformação na vida de um indivíduo que conhece o esporte e que, por meio dele, se inclui na sociedade. Maior do que os resultados esportivos e a trajetória dos grandes atletas, o professor de educação física promove a cidadania e a inclusão”.

Ao caminharem pela quadra e praticarem chute ao gol vendados, por exemplo, os estudantes se colocam na posição das pessoas cegas. O professor pode, então, trazer questionamentos que ultrapassem as fronteiras do esporte: será que é fácil para um deficiente visual ou um cadeirante pegar um ônibus? A rua da sua casa é acessível? O que pode melhorar na nossa escola para gerar mais inclusão?

“Quem mais traz resiliência para aprendermos a vencer obstáculos é a educação. Precisamos de políticas de aulas para incrementar o paradesporto no coração e na vida de cada professor”, disse a senadora Mara Gabrilli durante o evento de lançamento do curso, realizado no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

As aulas mostram como adaptar a prática dos esportes até mesmo em escolas sem infraestrutura ou material para as aulas.

“Esse curso ensina a usar espaços alternativos na escola e a fazer os materiais para a prática destas modalidades esportivas”, explica Vanderson.

Para João Cury Neto, secretário municipal de Educação de São Paulo, o curso reforça a importância em oferecer mais capacitação para os professores de educação física.

“Temos que trabalhar para que o professor tenha condições de aprofundar aprendizados e poder ensinar melhor os alunos. Esse projeto tem foco na formação, capacitação e qualificação dos professores de educação física que, só na cidade de São Paulo, somam cerca de 2 mil e 300 docentes na rede municipal”.

O curso "Movimento Paralímpico: Fundamentos Básicos do Esporte” está disponível na plataforma de ensino à distância do Ministério da Educação, o AVAMEC e pode ser acessado no site impulsiona.org.br/esporte-paralimpico/;

Sobre o Instituto Península

O Instituto Península é uma organização do terceiro setor que atua nas áreas de educação e do esporte. Trabalha para aprimorar a formação dos professores porque acredita que eles são a base para uma escola pública de qualidade. Visa à formação integral de professores e estudantes para que sejam capazes de fazer escolhas melhores e terem uma vida mais plena. Foi fundado em 2010 pela família Abilio Diniz e tem como presidente do Conselho Ana Maria Diniz. Para mais informações acesse www.institutopeninsula.org.br.

Sobre o Impulsiona

É a iniciativa de educação esportiva do Instituto Península, que utiliza o esporte como estratégia para o desenvolvimento integral dos alunos. Com foco em ampliar o repertório esportivo e disseminar os valores do esporte a crianças e jovens, o Impulsiona oferece cursos online e conteúdos digitais gratuitos para a especialização de professores de educação física, coordenadores pedagógicos e educadores. Lançado em julho de 2017, já alcançou mais de 10 mil escolas em todo o país. Para saber mais sobre o Impulsiona, acesse www.impulsiona.org.br.