<
>

Rafael Amorim, promessa de apenas 9 anos do skate, já chama a atenção de Bob Burnquist e Mineirinho

Rafael Amorim posa para foto com Sandro Dias, o Mineirinho Divulgação

Uma das novas promessas do skate brasileiro está se destacando nas pistas da região de Ribeirão Preto (cidade a 320km de São Paulo).

Aos nove anos, Rafael Amorim carrega cinco troféus na bagagem e está chamando atenção de estrelas da modalidade como, Bob Burnquist e Sandro Dias, o “Mineirinho”.

Considerado atleta overall, ou seja, que disputa as modalidades street, bowl e vertical, Rafael disputa campeonatos com a categoria adulta e, entre os prêmios conquistados, está o 3º lugar no Globe Locals, realizado em Ribeirão Preto.

Em torneios com skatistas de até 14 anos, o garoto conquistou o 1º lugar no Campeonato de Street em Orlândia-SP, o 2º lugar na etapa “King of Manifesto”, o 2º lugar no Campeonato Futuro da Nação e o 2º lugar no Hip Jump, disputado no Sandro Dias Camp.

“É tudo muito natural para mim, como se fosse um ‘rolê’ com pessoas da minha idade. Ser elogiado por pessoas como Bob, Rui e o Dias traz muita confiança, por isso fica mais tranquilo na hora de competir”, diz Rafael sobre treinar e disputar torneio com categorias avançadas, inclusive a adulta.

Amorim teve como um de seus primeiros técnicos, o grande representante do street brasileiro dos anos 80 e campeão brasileiro, Rui Muleque.

Para o treinador, a jovem promessa de Ribeirão Preto dará muita força para o skate brasileiro nos próximos anos.

“É um garoto que tive a oportunidade de treiná-lo. O Rafa vem andando muito e é uma grande aposta, ainda mais que o skate virou uma modalidade olímpica e, quem sabe, o Brasil não conte com um ribeirão-pretano. Eu tenho muita esperança nele”, destaca Rui.

Com o apoio do pai Alexandre, que praticava a modalidade, mas acabou optando pelo hipismo, Rafael começou a andar de skate logo cedo.

Segundo o pai, o garoto sempre demonstrou atração pelo esporte.

“Aos dois anos o Rafa já havia pedido um skate no Natal e começou a dar seus primeiros passos. Quando já estava mais velho, aos seis, acabou ralando as costas no asfalto e perguntei se ele queria parar e ir para casa. Ele se negou, dizendo que continuaria”, destaca.

Atualmente, o garoto treina com técnicos renomados do skate brasileiro, como Cris Mateus, Affonso Muggiatti e Miguel Catarina.