<
>

Dossiê das Contas, da ESPN, é finalista de prêmio de jornalismo do Ministério Público Federal

A série de reportagens Dossiê das Contas, produzida na ESPN pelos repórteres Diego Garcia e Rafael Valente, está entre as três finalistas do Prêmio República de Jornalismo. O anúncio foi feito na noite da última quinta-feira.

Criada há seis anos, a premiação é entregue pelo Ministério Público Federal aos profissionais de comunicação que exercem função complementar à atuação do órgão na defesa dos direitos humanos, da cidadania e da transparência no combate à corrupção.

A cerimônia será em 4 de junho, no Auditório do CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), em Brasília, no Distrito Federal. O Dossiê das Contas foi indicado na categoria Web Jornalismo e é a única reportagem de esporte entre os finalistas.

Integrarão a comissão julgadora o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti; a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge; e os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Herman Benjamin e Rogério Schietti Machado Cruz (veja ao final do texto os outros jurados).

A série de reportagens Dossiê das Contas foi publicada no início de 2017 e revelou como o Ministério do Esporte sumiu com mais de 3.000 prestações de contas das confederações olímpicas, situação que foi crucial para que um mar de fraudes ocorresse nos esportes brasileiros no uso de R$ 1,8 bilhão em dinheiro público.

Ao longo de 25 reportagens exclusivas, o Dossiê das Contas trouxe documentos e auditorias inéditas do Ministério do Tribunal de Contas da União (TCU), do Ministério da Transparência e da Controladoria Geral da União (CGU) que mostraram que, entre as prestações de contas desaparecidas, ocorreram incontáveis fraudes em licitações, regalias a cartolas, parcerias com empresas fantasmas, benefícios a poderosos e as mais diversas irregularidades em ao menos 14 esportes olímpicos.

Entre as matérias, foram publicados casos, por exemplo, como o de uma mesma empresa que venceu 37 de 42 licitações para passagens aéreas na natação, além de esquemas de superfaturamento em vistos para a China e outras irregularidades. Meses depois, tais empresas foram denunciadas pela Polícia Federal durante as prisões que ocorreram na CBDA.

O Dossiê das Contas motivou a abertura de investigações junto ao Ministério Público Federal.

Além dos jurados citados, participam também da escolha dos vencedores o subprocurador-geral da República aposentado e diretor de aposentados da ANPR, Celso Roberto da Cunha Lima (SPGR); a procuradora da República e diretora cultural da ANPR, Lívia Tinôco; os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Herman Benjamin e Rogério Schietti Machado Cruz; o membro do Conselho Nacional do Ministério Público, Silvio Roberto Oliveira de Amorim Júnior; a diretora da ONU MULHER Nadine Gasman; o ex-presidente da OAB, Marcus Vinícius; e os jornalistas Vladimir Neto (TV Globo), Ana Dubeux (Correio Braziliense) e Thais Herédia (My News).

Vale lembrar que no ano passado a ESPN também foi finalista do Prêmio República de Jornalismo, do Ministério Público Federal com a série de reportagens Dossiê Handebol, publicada pelo jornalista Diego Garcia, hoje repórter de esporte da "Folha de S.Paulo".

Aquela série ainda levou o Prêmio de Furo Jornalístico de 2016, dado pela Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo (Aceesp).

SOBRE O DOSSIÊ DAS CONTAS

CLIQUE NOS LINKS E VEJA AS REPORTAGENS DA SÉRIE

Reportagem principal:

Com R$ 1,8 bilhão do Esporte sem prestações de contas, documentos indicam fraudes e privilégios a cartolas

Reportagens seguintes da série:

Tênis de Mesa bancou viagens de luxo a cartolas e deu calote no cartão de crédito

Ligações entre sócios de empresas e CBTM indicam fraudes em licitações

Confederação recebeu, mas não comprou R$ 300 mil em equipamentos aos atletas

Canoagem: dinheiro 'sumiu', e atletas ficaram sem caiaques, remos e equipamentos

Ginástica teve equipamentos em galpão, pagamentos duplos e despesas fantasmas

No Ciclismo, mais de R$ 3 milhões anuais dos atletas são usados para servir cartolas

Natação usou dinheiro dos atletas para pagar jantares e comprar bebidas alcoólicas

COB utilizou R$ 3,6 milhões do esporte para agraciar cartolas durante o Rio 2016

TCU compara salários de cartolas do Atletismo com ganhos dos ministros do STF

Tiro com Arco não apresentou documentos originais e parcelou até notas fiscais

No golfe, atraso em execução de metas atrapalhou preparação de atletas olímpicos

Rugby efetuou pagamentos por equipamentos de musculação que nunca chegaram

Mesma empresa de turismo venceu 37 de 42 licitações na CBDA

Basquete bancou gringos, não devolveu R$ 406 mil e superfaturou hotéis

CBV teve concorrentes com mesmo telefone e funcionários em empregos simultâneos

Boxe não possui comprovante de gastos de R$ 27,7 mil em dinheiro público

CGU aponta dezenas de falhas em contratos olímpicos de R$ 240 milhões do ME

Convênio foi realizado há nove anos, mas prestação de contas jamais apareceu

Confederação levou R$ 236 mi para investir no esporte, mas aplicou na poupança

Em e-mail sigiloso, confederação confirma a cartolas que M.E. trava contas irregulares

Novos contratos reforçam evidências de fraudes em licitações do Rio 2016

CBHb contratou firma sem funcionários e cotou preços com empresa que não existia

Licitação para aviões do handebol teve três concorrentes: a mãe e os dois filhos

Confederação atrasou bolsas-atletas em mais de um ano e superfaturou hotéis

Confederações olímpicas são denunciadas ao MPF e têm pedido de intervenção

Dossiê faz TCU concluir: só um entre 242 centros esportivos olímpicos funciona

Gringos relacionam Brasil entre os países mais ineficientes com grana do esporte

Nova auditoria diz que cartolas não fazem ideia do que se passa nas confederações

Após dossiê da ESPN, Ministério do Esporte promete corrigir contas até 2022