<
>

Putin acusa agências dos EUA de 'doparem' delator de escândalo russo

Vladimir Putin, presidente da Rússia, durante encontro com oficiais do governo Getty Images

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, destilou seu veneno ao comentar o escândalo de doping no esporte do país. Nesta quinta-feira, ele acusou as agências especiais dos Estados Unidos de manipularem as provas do principal delator dos casos nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi em 2014, Grigory Rodchenkov.

Ex-diretor da Rusada (agência antidoping da Rússia), o profissional está sob a vigilância do plano de proteção de testemunha dos EUA após fugir para o país no ano passado depois que o escândalo veio à tona. Rodchenkov era o responsável por acobertar os casos de doping dos atletas russos na Olimpíada "em casa".

"Não é algo positivo para nós, é negativo", disse Putin sobre o ex-diretor estar no país norte-americano. "Significa que está sob o controle dos serviços especiais dos Estados Unidos".

"O que estão fazendo com ele ali? Estão lhe dando algum tipo de substância para que diga o que precisa?", questionou o presidente russo. "Confiar nas provas que ele apresenta é sem sentido".

Putin afirmou que "foi um erro" nomear Grigory Rodchenkov como diretor da Rusada: "Foi um erro de quem fez isso, e eu sei quem foi".

O delator teve papel decisivo nas investigações do Comitê Olímpico Internacional (COI), que na última semana vetou a presença da Rússia nos Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, em 2018.

Rodchenkov disse em seu depoimento que o Ministério dos Esportes da Rússia pediu a ele que supervisionasse o uso de esteroides nos atletas do país de vários esportes e que encobrisse os exames antidoping falsificando os resultados das análises e mudando as amostras contaminadas por outras limpas.