<
>

Iraniano soube que na próxima luta enfrentaria israelense, e perdeu de propósito para evitar combate

Getty

Uma situação bizarra marcou o último Campeonato Mundial sub-23 de Wrestling, que foi encerrado no último final de semana, na Polônia.

Nas oitava de final, realizadas no sábado, o iraniano Alireza Karimi-Machiani, grande favorito à medalha de ouro, enfrentou o russo Alikhan Zhabrailov, e todos davam a vitória de Karimi como certa, já que ele dominou completamente os primeiros dois minutos do combate.

No entanto, no meio da luta, o técnico de Karimi foi informado que, em outro confronto das oitavas, o israelense Uri Kalashnikov havia vencido o norte-americano Samuel Joseph Brooks. No mesmo momento, o treinador do iraniano gritou: "Alireza, perca".

O lutador ouviu o treinador e discordou com a cabeça, mas, ao ouvir novamente a ordem para perder de propósito, desistiu e ficou atirado no chão, enquanto seu adversário apenas o rolou para garantir a vitória sem qualquer tipo de oposição.

Isso ocorreu porque o Irã não reconhece Israel como Estado (principalmente por conta dos conflitos com a Palestina), e os atletas do país persa são impedidos pelo líder supremo da nação, o aiatolá Ali Khamenei, de enfrentarem atletas israelenses em qualquer tipo de esporte.

A recomendação, portanto, é que, no caso de ter que enfrentar um israelense, os iranianos percam de propósito ou finjam estarem doentes ou contundidos. No caso de Alireza Karimi-Machiani, uma "falsa lesão" acabou o levando à ridícula derrota para Zhabrailov.

Em entrevista à imprensa de seu país após o combate, Alireza confirmou que perdeu de propósito, mas contestou seu treinador e a lei iraniana.

"Nos informaram que o lutador israelense havia vencido seu adversário americano, e que portanto eu deveria perder para não lutar contra o israelense. Eu treinei duro por meses para ganhar a medalha de ouro, e creio que eu a ganharia com facilidade", afirmou.

"Eu aceito que Israel é um país opressor e comete crimes. Mas não é uma opressão contra mim que as autoridades coloquem todo o meu trabalho duro abaixo também?", questionou.

A Federação Iraniana de Wrestling, porém, parabenizou Alireza por ter acatado à decisão do treinador.

"Karimi-Machiani é um herói, que se sacrificou pelo direito de dar apoio ao povo oprimido da Palestina", escreveu a entidade, em nota.