Por Pan, TCU condena membro da Rio 2016 a devolver R$ 18,4 milhões

ESPN.com.br
Apenas quatro dias depois do anúncio do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, a cidade vê publicamente a notícia de que Ricardo Leyser Gonçalves, um dos membros de seu Comitê de Candidatura, foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a devolver R$ 18,4 milhões aos cofres públicos por irregularidades nos Jogos Pan-Americanos de 2007.

Indicado pelo ministério dos Esportes para fazer parte do grupo, Leyser Gonçalves é integrante do PC do B, da alta cúpula da pasta desde o início do governo Lula, em 2003, e considerado pelo TCU um dos responsáveis por supostas irregularidades nos gastos com o evento ocorrido há dois anos.

Ele foi condenado em junho por dois processos de denúncias de superfaturamento e pagamento por serviços não prestados, mas nega as acusações e diz ter recorrido, como publica nesta terça-feira o jornal "O Globo".

Leyser foi o responsável por toda a coordenação dos investimentos federais no Pan e tornou-se o braço direito do ministro Orlando Silva. No primeiro caso, que soma R$ 2 milhões, o TCU viu indícios de superfaturamento em serviços de hotelaria e montagem da Vila do Pan.

No segundo, em que cobra a devolução de R$ 16 milhões, o Tribunal culpa Leyser, seu assessor Luiz Custódio de Freitas e a Fast Engenharia e Montagens S/A por irregularidades na construção de estruturas provisórias.

"São processos antigos. Ressucitar isso parece um movimento encomendado para me atingir. Pode haver gente incomodada com a vitória do Rio ou preocupada com o papel que vou assumir na organização das Olimpíadas", defendeu-se Leyser.
Comentários

Por Pan, TCU condena membro da Rio 2016 a devolver R$ 18,4 milhões

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.