Guerrero crê em 'sacanagem' e 'injustiça', põe Copa em segundo plano e garante: 'Não consumo cocaína'

ESPN.com.br
Juca acredita em inocência de Guerrero, cita caso de Zetti e questiona: 'Quem vai restituir tudo que ele perdeu?'

Suspenso desde a última sexta-feira por um ano pela Fifa depois de ser flagrado em exame antidoping em jogo da seleção peruana pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em 5 de outubro, na Argentina, Paolo Guerrero garante: é inocente em toda essa história.

Em entrevista ao programa "Fantástico", o atacante do Flamengo, inclusive, crê que tenha havido sabotagem nos chás que consumiu quando estava concentrado com seu país para a disputa do torneio qualificatório.

"Depois que tive a notícia da suspensão por 30 dias, a primeira coisa que passou na minha cabeça foi isso: estão querendo me prejudicar para não jogar a repescagem, para não estar na final da Sul-Americana. Pensei: estão de sacanagem, querem me sacanear. Não querem que jogue a repescagem, querem tirar o Peru da Copa... Veio na minha cabeça tanta coisa", lamentou.

Por conta da suspensão, camisa 9 não estará mais uma vez presente na partida dessa quarta-feira, quando o Flamengo tem duelo decisivo contra o Independiente, da Argentina, necessitando reverter o placar de 2 a 1 sofrido na casa do adversário.

Logo no momento em que foi flagrado no antidoping, Guerrero acabou suspenso preventivamente por 20 dias e, posteriormente, teve a pena aumentada para mais dez. Na visão do centroavante, ele sofreu de "injustiça"por parte da Fifa.

Comentaristas do Resenha ESPN comentam punição a Guerrero por doping; Zetti relembra caso pessoal

"Estou muito indignado. Me custa a acreditar na injustiça que estou passando. Já tive muito prejuízo moral. Mas não por mim, e sim pelos meus pais. Tive muito prejuízo profissional e estou indignado que a Fifa esteja se manifestando dessa forma. Se excederam os códigos. Eles não podiam ter me suspendido tão rapidamente assim, e acho que estão sendo muito injustos comigo", comentou.

Sobre os relatos de que ingeriu a substância benzoilecgonina (principal metabólito da cocaína), Guerrero foi contundente: nunca fez uso da droga em toda sua vida.

"Deixo claro que não consumo cocaína, nunca na minha vida. Tenho 17 anos de carreira profissional, passei por milhares de controles. Só por Corinthians e Flamengo são 17 controles. No dia 14 de setembro eu passei por meu último controle pelo Flamengo, na Sul-Americana. Nunca tive vontade de consumir droga", disse.

Agora, Guerrero espera apenas voltar a jogar logo, mesmo que não seja na Copa do Mundo.

"Jogar a Copa, para mim, agora passou a segundo plano. A primeira coisa que quero agora é jogar pelo Flamengo no começo do ano. Não posso falar da Copa porque quero jogar já. Se acabasse hoje a minha suspensão eu queria jogar essa final. Estava me preparando para jogar os dois jogos da final. Então não estou pensando em reduzir a pena, pensando em ser absolvido porque não fiz nada. Sou inocente", afirmou.

Questionado, como é visto e possível rescisão; Mauro fala sobre situação de Guerrero no Flamengo

A suspensão começa a valer a partir de 3 de novembro de 2017, que é a data que ele foi suspenso preventivamente pela primeira vez. Como o gancho irá durar até novembro de 2018, o experiente jogador está fora do próximo Mundial, perdendo a chance de jogar o torneio pela primeira vez na carreira.

"O jogador testou positivo para o metabólito da cocaína Benzoilecgonina, uma substância incluída na lista proibida da Wada de 2017 sob a classe 'S6. Estimulantes'. [...] Por testar positivo para uma substância proibida, o jogador violou o artigo 6 das Regras Antidoping da Fifa e, também, infringiu o artigo 63 do Código Disciplinar da Fifa", explicou a entidade máxima do futebol. 

O julgamento foi realizado em primeira instância, cabendo ainda recurso ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), na Suíça, por parte da defesa do atleta.

A quantidade de metabólito de cocaína encontrada na urina de Guerrero é considerada pequena. Os exames mostraram apenas 72 nanogramas por mililitros, o que a Fifa considerou factível com a versão apresentada pelo atleta de que tomou apenas um chá antigripal. 

Para Tironi, Flamengo deveria cobrar a federação peruana pela suspensão de Guerrero: 'Vão ter que pagar isso aí'

No entanto, a pena de um ano é a mínima prevista para casos positivos da droga. 

Pesaram a favor do atleta, além dele ter admitido que tomou o chá, o fato de ele não ter sido testado com a substância em nenhum outro momento de sua carreira.

Guerrero tem contrato com o Flamengo até agosto de 2018. De acordo com informações publicadas no jornal Extra e confirmadas pela ESPN na última terça, a diretoria do time rubro-negro pensava em rescindir o contrato do centroavante caso ele recebesse uma punição severa, como de seis meses a um ano fora dos gramados. Agora, a saída do camisa 9 deve ser confirmada pelo Fla. 

Comentários

Guerrero crê em 'sacanagem' e 'injustiça', põe Copa em segundo plano e garante: 'Não consumo cocaína'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.