'Counter-Strike': Em dia cheio, SK é campeã da Blast Pro Series

ESPN.com.br

coldzera, TACO e companhia saíram com o título
coldzera, TACO e companhia saíram com o título Blast Pro Series/Twitter

Após um dia cheio de Counter-Strike: Global Offensive, a SK Gaming acabou campeã da Blast Pro Series. Depois de jogar oito mapas desde às 7h, os brasileiros viraram para cima da Astralis na decisão.

Gabriel “FalleN” Toledo e companhia fizeram  2 a 1, com 11-16 na Mirage, 16-8 na Inferno e 19-16 na Cache.

Marcada para começar na última sexta-feira (24), a competição acabou tendo todos os seus jogos disputados no sábado (25) por conta de um problema de servidor. Começando às 7h, a SK jogou oito mapas em sequência.

Na primeira fase, derrotas por 3-16 contra a Astralis na Inferno e 8-16 para a Faze na Mirage, e vitórias por 16-8 contra a G2 Esports na Cobblestone, 16-4 na Ninjas in Pyjamas na Train e 16-12 na North na Mirage. Na decisão, vitória por 2 a 1 contra os dinamarqueses.

Com a vitória, os brasileiros faturaram US$ 125 mil. Vice, a Astralis levou US$ 50 mil.

Raio-X da partida

Escolha brasileira, a Mirage foi completamente dominada pelos adversários. Apesar da SK ter vencido nos dois primeiros rounds, a Astralis conseguiu se recuperar e não ficou atrás no placar.

Como terrorista, os dinamarqueses não tomaram conhecimento da defesa brasileira e engataram seis rounds em sequência para fazer 9-3. A SK finalmente respondeu com um ponto, mas acabou caindo nos dois seguintes de maneira incrível.

Sozinho, Peter "dupreeh" Rothmann venceu um round contra três e quebrou a economia brasileira. Na sequência, o awper ficou novamente sozinho, mas agora contra quatro adversários, e levou a melhor mais uma vez.

Depois da troca de lados, a Astralis venceu o pistol mas viu Gabriel “FalleN” Toledo e Epitácio “TACO” Filho entrarem no jogo. A dupla conduziu a SK em uma sequência incrível e diminuiu o placar para 12-11.

A reação, porém, parou por aí. Os dinamarqueses retomaram o controle do jogo, fizeram quatro rounds em sequência e venceram por 16-11.

Na Inferno, a SK conseguiu se recuperar. Em um mapa que tem sido difícil para os brasileiros nos últimos tempos, Ricardo “boltz” Prass chamou a responsabilidade.

Começando como terrorista, a SK sofreu nos rounds iniciais, trocados a todo momento. Os brasileiros começaram a construir uma vantagem após o 10º round e com boas execuções colocaram o 10-5 no placar.

A Astralis respondeu levando o pistol e os subsequentes, mas os brasileiros deram o troco no armado. O ponto embalou a SK, que venceu seis rodadas seguidas para fechar a partida em 16-8 e forçar o terceiro mapa.

Na Cache, a Astralis teve um início dominante. Com Markus "Kjaerbye" Kjærbye brilhando, os dinamarqueses abriram 9-0 sem dificuldades. A SK respondeu no 10º round, vencendo e embalando seis jogos para diminuir o placar para 9-6.

Os brasileiros levaram os dois primeiros rounds do segundo tempo, mas acabaram caindo no terceiro e não conseguiram empatar o placar. O jogo continuou apertado e as equipes trocaram pontos a todo momento, chegando ao empate no 14-14. 

A Astralis chegou ao match point em seguida, mas os brasileiros defenderam o ponto e conseguiram levar o mapa para a prorrogação. No tempo extra, melhor para a SK, que fechou o mapa em 19-16.

Comentários

'Counter-Strike': Em dia cheio, SK é campeã da Blast Pro Series

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.