O Bom Senso que vai até o fim: jogadores uruguaios fazem greve e até Mujica, ex-presidente do país, tenta resolver situação

ESPN.com.br
Jogadores da segunda divisão uruguaia agradecem estrelas da seleção por apoio ao movimento
Jogadores da segunda divisão uruguaia agradecem estrelas da seleção por apoio ao movimento Reprodução - Twitter

No último final de semana não houve futebol no Uruguai.

Mais de 500 jogadores das duas primeiras divisões do país, através do movimento "Más Unidos Que Nunca", decretaram greve por tempo indeterminado devido ao conflito com a federação nacional (AUF) e com o sindicato (Mutual) por causa do valor pago pelos direitos de imagem.

A situação chegou ao ponto de o ex-presidente da nação José "Pepe" Mujica atuar como intermediário para tentar resolver o imbróglio dentro e fora dos gramados.

Tudo começou ainda em fevereiro deste ano, quando jogadores fizeram passeata contra os dirigentes de futebol do país. Eles tiveram o apoio de "figurões" como Diego Lugano, Diego Godín e Luis Suárez. Eles reclamaram que o acordo entre a AUF e a Tenfield, detentora dos direitos de transmissão, não repassava o valor correto aos clubes para utilizar a imagem dos futebolistas.

Veja passeata de jogadores uruguaios que pedem a saída do presidente da federação local

À época, o movimento afirmava que a empresa repassava US$ 10 milhões (R$ 32 milhões) por ano para ser repartido entre os clubes, sendo que tem um faturamento superior a US$ 60 milhões (R$ 192 milhões) - valor que não considera a arrecadação com patrocinadores, internet etc.

Desde então, a Associação Uruguaia de Futebol e a Tenfield praticamente selaram a renovação do contrato até 2025, o que deixou os atletas mais irritados.

Em carta aberta divulgada no sábado, os jogadores afirmam que a AUF está "utilizando a imagem de cada um de nós mediante a comercialização dos mesmos, especialmente através de cessões em favor de terceiros do direito a explorar comercialmente os Direitos Pessoais, sem autorização prévia de cada um de nós".

Para piorar, eles acusam a Associação Uruguaia de Jogadores Profissionais (conhecida como Mutual) de não fazer nada para contornar a situação.

O movimento "Más Unidos Que Nunca" pede a convocação de uma assembleia extraordinária para esta terça-feira e quer a destituição do presidente Enrique Saravia, assim como a de toda a comissão diretiva e a comissão fiscal.

Luis Suárez e Diego Godín com a camisa em apoio ao movimento dos jogadores uruguaios
Luis Suárez e Diego Godín com a camisa em apoio ao movimento dos jogadores uruguaios Reprodução - Twitter

Até que a assembleia extraordinária seja marcada, os mais de 500 jogadores decidiram paralisar a atividade oficial por tempo indeterminado.

Nos últimos dias, o presidente da AUF, Wilmar Valdez, se reuniu com dirigentes do sindicato e também com líderes do movimento em busca de um acordo. O caos no Uruguai chegou ao ponto de o ex-presidente da República José Mujica, hoje senador, precisar atuar como intermediário.

Na sexta-feira passada, em sua famosa chácara, "Pepe" recebeu Wilmar Valdez, o deputado Luis Gallo (da Comissão Nacional do Esporte) e membros do "Más Unidos Que Nunca". A atuação do ex-presidente, porém, é polêmica, pois ele possui forte influência sobre o homem-forte do sindicato de jogadores, Enrique Saravia.

'Pepe' Mujica junto a Lugano em partida da seleção uruguaia
'Pepe' Mujica junto a Lugano em partida da seleção uruguaia Getty

"Vamos ver se saímos deste conflito, porque os clubes têm contratos firmados com os jogadores, e tem que ver como incide este tema. Está claro que é algo que preocupa em virtude de que esses direitos de imagem sempre foi explorado pela Tenfield e não por nós, assim que logicamente agora estamos focados nisso", afirmou o presidente da AUF ao diário Ovación Digital.

O Brasil teve um movimento de jogadores recente, chamado Bom Senso, que pedia à CBF um calendário anual a todos os clubes de todas as divisões nacionais, punições a equipes que deixassem de pagar os salários em dia, em outras coisas.

Após Kalil detonar o Bom Senso, Paulo André rebate: 'Não respeito esse senhor; são frases idiotas'

No entanto, os cartolas cederam às pressões da CBF e ajudaram a minguar o movimento, que teve como expoentes Paulo André, Alex e Fernando Prass.

Comentários

O Bom Senso que vai até o fim: jogadores uruguaios fazem greve e até Mujica, ex-presidente do país, tenta resolver situação

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.