Arrebentando na Premier League, ex-Flu conta por que não foi para o Palmeiras e revela que preferiu pequeno inglês a gigante europeu

Francisco De Laurentiis e Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Dribles, pênalti e mais: veja como foi a atuação de Richarlison na vitória do Watford sobre o Arsenal

Quando o Fluminense anunciou a venda do atacante Richarlison para o pequeno Watford-ING, no final de julho, por R$ 46 milhões, muitos ficaram sem entender. Afinal, o que um dos grandes destaques do Campeonato Brasileiro tinha a ganhar indo para uma equipe que provavelmente iria apenas fazer figuração ou brigar para não ser rebaixada na Premier League?

A resposta veio rápido: com grandes atuações, o jogador de apenas 20 anos vem comandando o ataque do time e colocou os Hornets na 4ª colocação do Inglês, ocupando uma das vagas de classificação para a próxima Champions League

Até o momento, o capixaba de Nova Venécia acumula três gols em nove partidas, contra Bournemouth, Swansea e West Bromwich, e ainda colaborou com outras jogadas decisivas, como o pênalti sofrido na recente vitória de virada por 2 a 1 sobre o Arsenal.

Neste sábado, aliás, o atleta das seleções brasileira de base volta a campo em mais um desafio complicado do Watford, contra o Chelsea, fora de casa, às 9h30 (de Brasília), com transmissão da ESPN Brasil e do WatchESPN.

Mas, antes de arrebentar no mais disputado campeonato do mundo, Richarlison viveu dias de incerteza, já que viu seu nome entrar em um verdadeiro "furacão" de negociações até o Fluminense acertar a venda para o clube britânico. 

Quando vivia seu melhor momento no Campeonato Brasileiro, por exemplo, o jogador, por exemplo, ficou muito próximo de fechar com o Palmeiras. Entre ele e a equipe paulista estava tudo certo, mas, no momento final, as diretorias se "enroscaram".

Quem conta é o próprio atacante, em entrevista ao ESPN.com.br.

"Os clubes abriram negociação, e todo mundo sabe que eu estava para ir para o Palmeiras, mesmo. Só que não houve entendimento entre os presidentes, e por isso não deu certo", disse, lembrando a falta de um acordo entre o tricolor Pedro Abad e o alviverde Maurício Galiotte. 

Presidente do Flu diz que negociação com Palmeiras por Richarlison acabou: 'Forma não foi correta'

Na época em que a contratação quase aconteceu, aliás, Richarlison chegou até a pedir para ficar de fora de um jogo contra o próprio Palmeiras, no Allianz Parque, e acabou tendo a requisição acatara pela diretoria do clube. No duelo, os cariocas saíram derrotados por 3 a 1, pela 6ª rodada do Brasileiro, em 10 de junho.

Depois, o atleta acabaria reintegrado (apesar de muitas reclamações do presidente Pedro Abad contra o suposto assédio do Palmeiras ao jogador), ficando no Flu até 31 de julho, quando foi vendido ao Watford. "Isso (falta de acerto com o Palmeiras) jamais tirou meu foco. Continuei trabalhando firme como vocês viram. Fui fazendo gols e ajudando o Fluminense", salientou. 

Nicola conta com quanto o Flu ficou da negociação de Richarlison e porcentagem de compra futura
  • Ligação de técnico foi decisiva

Após não acertar com o Palmeiras, Richarlison estava praticamente certo para ir para o Ajax, da Holanda, que é um dos maiores clubes da Europa, dono de quatro títulos da Champions League, dois Mundiais de Clubes e uma Copa da Uefa, além de 33 Campeonatos Holandeses e 18 Copas da Holanda. 

Richarlison fez grande 2017 pelo Fluminense
Richarlison fez grande 2017 pelo Fluminense RUDY TRINDADE/FramePhoto/Gazeta Press

No entanto, uma ligação do técnico do Watford, o português Marco Silva, o fez mudar de ideia e optar pela ida à Premier League, mesmo para jogar em um time de tamanho bem menor - os Hornets nunca ganharam um título de expressão em seus 136 anos de história.

"A negociação com o Ajax estava bem adiantada. Foi bem quando o Watford surgiu. O Marco Silva me ligou e disse que me queria aqui, pois me viu jogando no Fluminense e sabia que eu tinha potencial para jogar a Premier League", relatou.

"Ele me disse que eu poderia jogar em qualquer posição do ataque, tanto pelas beiradas do campo como mais centralizado, e isso me deixou muito feliz. A partir daí, eu mudei de ideia e falei que queria ir para a Inglaterra", revelou. 

Richarlison marca aos 50 minutos do segundo tempo e garante empate do Watford contra o West Bromwich

Assim, o atacante diz ter realizado uma das metas de sua vida.

"Meu sonho de criança era  jogar a Premier League, que é um dos campeonatos mais vistos do mundo e é o mais difícil também. Depois que o Marco Silva me ligou, eu fui pesquisar sobre o Watford e no final deu tudo certo", ressaltou.

"O campeonato aqui é realmente tudo o que eu imaginava: um jogo forte e pegado. Todos os gramados são excelentes, e a arbitragem não é caseira como no Brasil", analisou.

Assim como Gabriel Jesus, Richarlison chegou à Inglaterra sem saber falar inglês. Por sorte, havia no Watford um compatriota pronto para lhe ajudar a resolver os problemas "mundanos" enquanto ele se adapta ao novo país, além de colegas brasileiros nas outras equipes. 

Com gol de ex-promessa do Fluminense nos acréscimos, Watford vence Swansea e sobe na tabela

"O Gomes, nosso goleiro, tem me ajudado muito nessa adaptação. Ele arrumou carro e casa para mim, além de uma professora de inglês. Ele tem sido um paizão para mim e me levado pra sair. Esses dias fomos até passear na Espanha para dar uma refresco. Ele também me ajuda como tradutor. Eu ainda não entendo tudo de inglês e tenho recebido muito essa 'mãozinha' dele", brincou.

"Também fui muito bem acolhido pelo grupo, que é muito bom. Tem muitos gringos, a galera está sempre sorrido e a maioria fala espanhol, então isso me ajuda demais a entrosar. Durante os jogos, estou me sentindo como no Brasil, nem sinto tanta diferença. Continuo o mesmo cara e quero melhorar cada vez mais", sonhou.

"Eu também vejo sempre o David Luiz e vou direto na casa dele, pois é um cara muito bacana. Também já troquei camisa com o Firmino e o Gabriel Jesus, que foram muito gentis comigo", arrematou. 

Após primeiro gol pelo Watford, Richarlison agradece carinho da torcida e comemora: 'Professor manda fazer o que eu sei de melhor'

O brasileiro também dispara elogios a Marco Silva, jovem treinador português (40 anos) que vem de bons trabalhos em Sporting-POR, Olympiacos-GRE e Hull City-ING, e que inclusive já foi chamado pela imprensa inglesa de "novo Mourinho".

"O Marco é bem jovem e conversa muito com os jogadores. Ele sempre conversa comigo e me mostra parte técnica e a forma que ele quer que eu jogue. Ele é muito gente boa durante a semana e dá vários conselhos úteis", exaltou.

"Com o tempo sera um dos melhores treinadores do mundo, não tenho dúvida. Ele tem muita confiança de todos dentro do grupo. Além disso, conversa em português comigo, o que me ajuda muito a entender todas as instruções. Isso facilita para os treinos e jogos", comemorou.

  • Arrebentando desde a estreia
Veja os gols do empate entre Watford e Liverpool por 3 a 3

Richarlison estreou pelo Watford logo na primeira partida da temporada, e numa "pedreira": um 3 a 3 com o gigante Liverpool. E, de cara, mostrou seu cartão de visitas, já que o gol de empate dos Hornets, aos 48 minutos do segundo tempo, aconteceu no rebote de um chute seu no travessão.

"Entrei no segundo tempo contra o Liverpool e consegui fazer o lance em que fui muito feliz. Podia ter sido meu primeiro gol, mas a bola bateu no travessão e, no rebote, o (zagueiro) Britos fez o nosso gol. O importante é que a bola entrou, né (risos)? Mas conseguir uma jogada dessas logo na sua estreia em Premier League só me deu mais confiança e felicidade", exaltou.

Nas partidas seguintes, o brasileiro seguiu impressionando e rapidamente caiu nas graças da torcida. 

Abriu a chapelaria! Richarlison dá belo drible em Fernandinho na Premier League

"Os torcedores já até criaram uma música pra mim, acredita? Eles cantam que eu sou 'o soldado do Silva' (risos). Quando eles cantam isso, fico ainda mais inspirado e com mais vontade de ganhar. Dou muita raça dentro de campo", contou.

Seu segundo gol saiu na 6ª rodada, e foi importantíssimo: o tento da vitória por 2 a 1 sobre o Swansea, aos 45 minutos do segundo tempo.

"Meu segundo gol foi o mais emocionante de todos, porque foi nos acréscimos já. Eu fiquei louco, extravasei, tirei a camisa e saí correndo (risos). Foi uma alegria enorme, a gente nem pensa na hora. Levei cartão amarelo, infelizmente, mas valeu a pena pelo gol. Comemorei demais", suspirou. 

Perdeu o rumo de casa! Em dois toques, Richarlison dá chapéu e caneta em marcador do Bournemouth

Richarlison, aliás, parece não acreditar em seu sucesso tão rápido.

"Quando vejo os caras que estou enfrentando hoje, às vezes lembro que há um tempo atrás eu estava batendo bola lá na cidade em que eu nasci e hoje estou jogando contra Agüero, De Bruyne e os melhores do mundo. É uma honra muito grande", ressaltou o ex-América-MG e Fluminense.

"Minha vida mudou demais. Em três anos mudou tudo! Hoje, posso ajudar minha família, e só tenho que agradecer a Deus por isso. Preciso continuar com a humildade e nunca perder o foco. Não posso deixar o sucesso subir à cabeça, porque quero continuar ajudando a minha família e todos que precisarem do meu apoio", discursou. 

Técnico do Watford rasga elogios a Richarlison, mas pede calma e brinca: 'Não diz uma palavra em inglês'

O camisa 11, porém, nem sempre saiu de campo sorridente nesta temporada.

"Rapaz, teve o jogo com o Manchester City que perdermos de 6 a 0 e eu enfrentei o zagueiro mais casca grossa de todos até agora, que é o Stones. O cara é alto, forte e bom pra caramba (risos)", divertiu-se.

  • Até Elton John virou fã
Elton John tem arquibancada com seu nome no estádio do Watford
Elton John tem arquibancada com seu nome no estádio do Watford AMA/Corbis via Getty Images

A ótima fase de Richarlison conquistou até mesmo o torcedor mais ilustre do Watford: o cantor inglês Elton John, que já foi presidente do time e ajudou salvá-lo da falência - hoje, ele tem até uma arquibancada com seu nome em homenagem no estádio Vicarage Road

"O Elton John é nosso torcedor fanático número 1. Já foi presidente do time e hoje acho que continua tendo influência na diretoria. Já o vi no estádio torcendo por nós", relatou o atacante.

"É um cara gente boa! Pude conversar com ele uma vez, foi bem simpático, nos cumprimentamos e ele me elogiou. Quando na vida imaginei que ia apertar a mão do Elton John (risos)? Fiquei feliz demais!", celebrou. 

De lados opostos, Elton John e ex-guitarrista do Oasis assistem a Watford e City; veja quem levou a melhor

Com um Watford fazendo uma campanha histórica até o momento, Richarlison sonha alto para o restante da temporada.

"Queremos chegar o mais alto possível na tabela. Sabemos da dificuldades de jogar um Campeonato Inglês, que tem muitos clubes de qualidade e que fizeram grandes investimentos em jogadores, mas nossa meta é chegar na parte de cima da tabela e tentar pegar um torneio europeu. Quem sabe?", imaginou. 

Richarlison comemora gol pelo Watford na Premier League
Richarlison comemora gol pelo Watford na Premier League Dan Istitene/Getty Images

Quando a metas pessoais, o atacante deixa claro: espera para logo mais uma chance na seleção brasileira principal - ele tem passagem pela categoria sub-20, tendo disputado o último Sul-Americano da idade com a camisa verde e amarela.

"Eu pretendo fazer história no Watford, marcar muitos gols e fazer meu nome. Quero buscar seleção brasileira, que é o principal objetivo para mim. Quem sabe jogar uma Copa do Mundo, é o meu sonho de criança. Preciso trabalhar para quando uma oportunidade surgir eu possa estar preparado", finalizou.

Comentários

Arrebentando na Premier League, ex-Flu conta por que não foi para o Palmeiras e revela que preferiu pequeno inglês a gigante europeu

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.