Seis ovos por dia e banheira de gelo: como foi a preparação de atriz da Globo para viver atleta no cinema

Bianca Daga, do espnW.com.br

Fernanda de Freitas vai interpretar uma corredora de 4x100m no cinema
Fernanda de Freitas vai interpretar uma corredora de 4x100m no cinema Sergio Baia

Quem está acostumado a ver Fernanda de Freitas vivendo personagens de comédia – como a Flavinha, de ‘Tapas & Beijos’; a Andréia, de ‘Mister Brau’; e a Marina da Glória, na nova versão da ‘Escolinha do Professor Raimundo’ – em breve, poderá descobrir outra veia artística sua. A atriz acabou de concluir as gravações do longa-metragem ‘4x100’, em que vai interpretar a atleta Maria Lúcia numa história dramática de superação.

Maria Lúcia, Adriana, Jaciara e Rita voltam à Olimpíada quatro anos depois, com o desafio de conquistar a medalha que, no passado, uma fatalidade fez escapar – por conta de um erro, terminaram em quarto na prova de revezamento do atletismo que dá nome ao filme. Convidado para treinar novamente a equipe, Ichi quer suas atletas de volta. A novata Sofia se une ao grupo, que precisará vencer mágoas e readquirir autoconfiança para conquistar seu espaço no esporte.

“É uma personagem que eu já estava buscando há algum tempo. Queria viver algo diferente comédia nesse momento da minha carreira, porque tenho feito muita comédia. Maria Lúcia é mais fechada, uma guerreira. Mulher forte e, ao mesmo tempo, muito frágil. Fui convidada para fazer o filme em 2013 e topei na hora. Fiquei louca pela personagem. Sou louca por esporte e estou feliz pra caramba”, contou em entrevista exclusiva ao espnW.com.br.

  • MUSCULAÇÃO, LESÃO E SEIS OVOS POR DIA


Foi um desafio. Para se tornar atleta na telona, Fernanda precisou começar do zero: aprendeu técnicas, mudou completamente sua alimentação, se lesionou, fez fisioterapia, banheira de gelo e voltou à uma academia depois de 16 anos. E tudo isso em pouquíssimo tempo. As gravações, em São Paulo, começaram em 23 de julho e terminaram em 28 de agosto. Com poucos dias de folga, acumulou 24 diárias intensas vivendo Maria Lúcia. Mas sua preparação começou meses antes, no Rio de Janeiro, onde mora.

“Passei por mudanças radicais. Parei com o ballet e voltei à musculação, que não fazia desde 2001. Fui à nutricionista e precisei entrar com proteína e glutamina para ganhar massa. E com isso, ganhei peso. Passei a comer uns seis ovos por dia. Sorte que amo ovo (risos). Introduzi coco, abacate, castanha e cortei o suco de frutas, que eu tomava muito durante o dia e aprendi que não é saudável. Em casa, era arroz, macarrão, pão todo dia. Eu já estava querendo mudar essas coisas, mas não criava vergonha na cara. Precisei do filme para ver que fazia tudo errado.”

Foram três semanas fazendo treinamento técnico no NAR – Núcleo de Alto Rendimento Esportivo de São Paulo. “Aprendi a correr, passar bastão, sair em bloco, usar a sapatilha especial com travas. E comíamos uma marmita sem óleo e sem sal, sem gosto. No primeiro dia, você pensa ‘legal..balanceada, natural, orgânica. No quarto, já jogávamos um vinagre. No final, preferíamos o ovo (risos).”

Mas o mais complicado foi a lesão. “Tenho 37 anos, não sou mais menina e estava começando uma preparação intensiva para um esporte novo. Sempre tive medo de me machucar e, no primeiro dia, machuquei um músculo atrás do joelho. Foi uma semana de muita dor e fazendo acupuntura. Fiquei chateada e com medo de não conseguir fazer o filme. Lidar com a dor foi o mais difícil. Na segunda semana melhorou e, na terceira, fiz uma corrida e vi que estava zerada. Foi um alívio.”

  • VÔLEI, BALLET, FUTEVÔLEI... ESPORTE NA VEIA


Fernanda escreveu em um post no seu Instagram que quis ser atleta e, agora, o cinema lhe deu esse presente. Seu contato com o atletismo, até o ‘4x100’, era zero. Mas para quem não sabe, a atriz se arriscou no vôlei ainda criança e seu 1,62m a fez desistir. “Se tinha uma aula em que eu era louca, era educação física. Eu era levantadora, joguei por uns 15 anos. Mas as meninas ficaram muito altas e eu parei de crescer. Aí pensei que não era para mim.”

Sua relação com o esporte continuou – e ainda é – intensa. Bailarina dos oito aos 17 anos, a atriz voltou a dançar em 2005 e não parou mais. E neste ano, voltou a treinar com bola, mas não no vôlei. ‘Carioca’ desde que se mudou para o Rio de Janeiro para seguir carreira como atriz, na adolescência, entrou no estilo de vida da cidade. “Eu brincava de altinha com umas amigas na praia, mas dávamos dois toques e a bola caia (risos). Aí uma delas entrou para a aula de futevôlei, em janeiro, e me pentelhou tanto que comecei também.”

Fernanda com colegas de elenco do '4 x 100'
Fernanda com colegas de elenco do '4 x 100' Reprodução/Instagram

Atleta por hobby na vida real, Fernanda de Freitas ainda precisará esperar um pouco para mostrar a todos sua interpretação como atleta profissional. O longa-metragem ‘4x100’ ainda não tem data certa para estrear, mas a previsão é que fique para daqui a dois ou três anos, perto dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. O filme retrata uma trama fictícia, mas inspirada em histórias reais de atletas e técnicos, que inclusive foram entrevistados para dar embasamento ao roteiro.


Comentários

Seis ovos por dia e banheira de gelo: como foi a preparação de atriz da Globo para viver atleta no cinema

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.