Acrobacia em avião a 300 km/h deixa de ser coisa de homem; veja como elas pilotam para competir

Bianca Daga, do espnW.com.br

TUAREG fez seletiva e vai patrocinar mulheres
TUAREG fez seletiva e vai patrocinar mulheres Divulgação

Elas chegam a 300 km/h e arriscam manobras de descida vertical em que tiram o pé do motor, ficando sem velocidade. Deu frio na barriga só de pensar na sensação?! Imagina, então, fazer essas aventuras competindo! É isso aí. Existe Campeonato Brasileiro de Acrobacia Aérea, e as mulheres estão começando a entrar neste mundo de forma efetiva. No final deste mês, três pilotos vão começar a treinar em um projeto da TUAREG Academy, que desenvolveu o primeiro avião acrobático do Brasil

“Antes, tive somente uma aluna, no ano passado. É um esporte caro e, além disso, as mulheres sofrem com a falta de referência feminina. Então, quis dar essa oportunidade a mulheres com pouca experiência em voo e nenhuma em acrobacia. Vamos patrociná-las. Ensinar do zero, quebrar esse paradigma e prepará-las para disputarem o Campeonato Brasileiro do ano que vem”, disse ao espnW Marcos Geraldi, dono da TUAREG e campeão brasileiro em 2014.

Foram escolhidas 60 mulheres, reduzidas a 20 e depois a 12. Esse último grupo participou de um treinamento e, após três fases eliminatórias, quatro chegaram à final. O quarteto disputou uma competição no início de agosto, e três foram selecionadas para ganhar o patrocínio: Thayanne Neves Moura (1ª); Lisa Lidia Naves Ritter (2ª) e Aline Volpatto (3ª). A bolsa para a campeã será de 100%. Para as outras, de 85%. O patrocínio será de um ano, e elas precisarão custear apenas o transporte até o local de treinamento.

Lisa será uma das patrocinadas
Lisa será uma das patrocinadas Arquivo pessoal

Os dois gêneros competem juntos no Campeonato Brasileiro de Acrobacia Aérea. Neste ano, foram seis mulheres e cerca de 20 homens. Em 2016, somente uma. Antes disso, nenhuma. No Mundial de 2015, entre 58 competidores, sete eram mulheres – brasileiras nunca disputaram a competição e este é o grande objetivo da TUAREG. “Apenas 1,2% dos pilotos na aviação comercial do Brasil são mulheres. Em acrobacia, dá para contar nos dedos. Mas mulher tem muita sensibilidade para voar. É até mais fácil ensinar elas do que os homens”, destacou Marcos.

Thayanne começou na aviação por influência dos tios, que trabalhavam na área. E tudo é recente. Começou a fazer o curso de piloto privado em 2015, conheceu o dono da TUAREG e entrou para as aulas de acrobacia em junho deste ano. Aos 27 anos, está fazendo curso para se tornar piloto comercial. A acrobacia ainda não é profissional – essa é uma briga atual da ANAC. Por enquanto, é esporte e diversão.

Thayanne venceu a competição
Thayanne venceu a competição Arquivo pessoal

“Nos primeiros voos, achei muito diferente da aviação comum. Não conseguia nem nivelar o avião direito. Tive dificuldade e fiquei frustrada. Exige muito estudo, trabalho e controle emocional. Não é um vídeo game. Mas aprendemos a recuperar o avião em caso de imprevisto. É só manter a calma. Está sendo incrível. O Marcos é um visionário. Quando comecei a treinar na TUAREG, não tinha nenhuma mulher instrutora. Hoje, são sete.”

Já Lisa concilia os voos com suas pacientes. “Aos 11 anos, fiz meu primeiro voo de acrobacia com meu pai. Sempre gostei de adrenalina e resolvi que queria isso para a minha vida. Ele pensava em construir um avião para uma pessoa, que até hoje não ficou pronto (risos). Então, segui carreira na nutrição. Morei fora e, quando voltei, fiz curso de Piloto Privado. Meu sonho era voar acrobacia. Não imaginava que eu fosse chegar à final. Estou feliz e orgulhosa por estar realizando um sonho.”

Comentários

Acrobacia em avião a 300 km/h deixa de ser coisa de homem; veja como elas pilotam para competir

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.