Vegano, maior ladrão de bola e chamado de 'mini Gattuso' por Löw: conheça o cão de guarda do Leipzig

André Donke, do ESPN.com.br

Diego Demme foi líder de desarmes na última Bundesliga
Diego Demme foi líder de desarmes na última Bundesliga Getty

Vice-campeão e classificado à Uefa Champions League League em seu primeiro ano na elite na Alemanha, o RB Leipzig, fundado em 2009, foi talvez a maior sensação do futebol europeu na última temporada. Os resultados e o futebol vistoso foram alcançados em boa parte graças ao seu setor ofensivo, que conta com nomes como, por exemplo, Timo Werner, artilheiro e campeão da Copa das Confederações 2017,  e o meia Emil Forbserg, líder em assistências na Bundesliga 2016-17.

Mas isso não significa que a atenção foi toda destinada aos nomes de ataque. Muito longe disso. E um dos atletas que provam o contrário é Diego Demme, um volante que recebeu seu nome em homenagem Diego Armando Maradona. No campo, porém, ele seguiu um caminho completamente diferente em relação ao do argentino.


Titular no Leipzig desde que foi contratado junto ao Paderborn por 350 mil euros em janeiro de 2014, o jogador de 25 anos foi um dos pilares da campanha surpreendente da temporada passada. Os números refletem sua importância na equiope: ele foi o segundo jogador que mais tocou na bola em toda última edição do Alemão (2774), o 11º com mais passes completos (1763), o oitavo em interceptações (93) e o líder em desarmes (88).

Sempre muito acionado em campo e um dos principais nomes para garantir a estabilidade defensiva de um time de vocação ofensiva e que levou apenas 39 gols, tendo a terceira zaga menos vazada da Bundesliga.

Tal desempenho o credenciou a ser convocado pela seleção alemã para disputar a Copa das Confederações.  Além disso, ele também ganhou outra honra vinda do técnico Joachim Löw: o apelido “pequeno Gattuso”, em alusão ao icônico volante do Milan e da seleção italiana.  

“Ser comparado de certa forma a um volante de tamanha classe, que tantos títulos pôde ganhar e que é uma espécie de modelo para mim, me deixa orgulhoso”, afirmou Demme em entrevista por email ao ESPN.com.br.

Em junho de 2017, veio a estreia pelo seu país ao entrar nos minutos finais da vitória por 7 a 0 sobre San Marino pela eliminatória europeia para a Copa do Mundo de 2018. Porém, logo na seguida, ele acabaria cortado do torneio devido a uma lesão nas costas.

Superada a frustração depois de uma grande temporada, o volante teve de lidar com outro problema físico. Uma entrada dura do companheiro Naby Keita o fez machucar o joelho direito durante a pré-temporada, o que o deixou de fora da estreia do Leipzig nesta edição do Alemão (derrota para o Schalke 04 por 2 a 0). Agora, ele tem a chance de jogar pela primeira vez em 2017-18, no domingo, contra o Freiburg, pela segunda rodada.

Bernardo, do RB Leipzig, fala sobre estilo de vida na 'verde' Leipzig e como a cidade abraçou o time

Vivendo a expectativa de repetir o grande desempenho que apresentou na última campanha, Demme tem uma preparação especial que vai além dos treinos. Afinal, a alimentação bem regrada - que hoje é baseada em uma dieta vegana - lhe trouxe contribuição na carreira, como ele próprio contou na entrevista abaixo. Veja na íntegra:

ESPN.com.br: Desde quando você é vegano? Você acha que isso ajuda em seu jogo?
Diego Demme: Eu tenho uma dieta vegana há só algum tempo. Mas não é só isso. Eu lido intensamente com o tema nutrição e quero fornecer ao meu corpo a melhor opção de alimentos. Eu notei que isso tem me feito bem. Eu também tenho claramente menos problemas musculares do que antes.

Diego Demme estreou pela seleção alemã em junho de 2017, contra San Marino
Diego Demme estreou pela seleção alemã em junho de 2017, contra San Marino Getty

ESPN.com.br: Seu nome é uma homenagem a Diego Maradona? Você já o encontrou alguma vez?
Diego Demme: Sim, meu pai é de Nápoles e foi um grande fã de Maradona. Por isso eu tenho o nome Diego. Infelizmente, eu ainda nunca tive a oportunidade de encontrá-lo. Talvez isso aconteça alguma vez, quem sabe. Timo Werner, infelizmente, conseguiu isso antes de mim, quando ele foi premiado pelo Maradona na Copa das Confederações (risos)

Observação: O argentino entregou o prêmio de artilheiro da competição ao atacante, companheiro de Demme no RB Leipzig.

ESPN.com.br: Você gostou quando Joachim Löw te chamou de "pequeno Gattuso"? 
Diego Demme: Absolutamente. Ser comparado de certa forma a um volante de tamanha classe, que tantos títulos pôde ganhar e que é uma espécie de modelo para mim, me deixa orgulhoso. No entanto, eu sou Diego Demme e tento jogar com o meu próprio estilo. Até agora, isso tem funcionado muito bem (risos).

ESPN.com.br: RB Leipzig é um time bastante ofensivo.  Você tem que fazer com um trabalho dobrado em sua posição em relação a outros times?
Diego Demme: Eu não posso responder muito bem, já que eu não sei como os outros times jogam exatamente. Eu sempre fui capaz de correr o máximo e dar tudo pelo time. No nosso sistema, o correr e o sprint são elementares, mas é importante que, como time, se corra apropiadamente. Nós não corremos apenas por correr, mas porque queremos ter a bola o mais rápido possível para então irmos rapidamente ao gol adversário.

Comentários

Vegano, maior ladrão de bola e chamado de 'mini Gattuso' por Löw: conheça o cão de guarda do Leipzig

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.