O desprezo continua: time da NFL prefere aposentado a quarterback que protestou em hino americano

ESPN.com.br

Cutler (esquerda) ficou com a vaga que poderia ser de Kaepernick
Cutler (esquerda) ficou com a vaga que poderia ser de Kaepernick Ezra Shaw/Getty Images Sport

Uma nova lesão nos ligamentos do joelho de Ryan Tannehill abriu mais uma vaga de quarterback na NFL. Mais uma vez, Colin Kaepernick, ex-49ers, foi deixado de lado, e o Miami Dolphins assiu um acordo de uma temporada e US$ 10 milhões (R$ 31,33 milhões) com Jay Cutler, ex-Bears.

A curiosidade é que o Cutler já estava até escalado para ser comentarista no primeiro jogo do Chicago Bears na temporada, contra o Green Bay Packers. A aposentadoria fora, de certa forma, forçada, já que ele acabou cortado dos Bears e não havia sido procurado por ninguém.

“Eu não sei se aposentadoria é a palavra certa. Eu não sinto que alguém tenha realmente se aposentado da NFL. Ou você é forçado a sair, ou perde o desejo de fazer o que é necessário para seguir”, disse Cutler ao anunciar que seria comentarista.

No acordo com a Fox Sports, Cutler havia deixado claro que “estava no meio das duas situações”, e poderia voltar a vestir o capacete caso fosse procurado por alguma equipe da NFL, o que acabou acontecendo. 

Antony Curti e Paulo Antunes discutem futuro da posição de QB nos Dolphins: Kaepernick ou Cutler?

Com 11 temporadas no currículo, Cutler começou sua trajetória na liga em Denver, e tem apenas dois jogos de playoffs, ambos na temporada de 2010, já em Chicago, quando eliminou o Seattle Seahawks na primeira rodada e foi eliminado pelo rival Green Bay Packers.

Desemprego de Kaepernick: Baldwin muda opinião e crê que NFL está dizendo para atletas ‘ficarem na linha’

Kaepernick, segundo fontes, chegou a ser considerado para a vaga nos Dolphins, mas algumas questões pesaram contra. Além de ter ajoelhado durante o hino nacional norte-americano, em protesto contra a violência policial que desagradou muitos torcedores, uma camisa com a imagem de Fidel Castro também seria um problema, ainda mais em Miami, que tem grande população vinda de Cuba.

Além de não ter polêmicas, Cutler contou com a ajuda de Adam Gase, técnico dos Dolphins, que trabalhou com o quarterback como coordenador ofensivo nos Bears.

Warner conta como caixa de cereal o fez deixar trabalho em mercearia e entrar no Hall da Fama da NFL

Foi sob o comando de Gase, em 2015, que Cutler teve um dos melhores anos de sua carreira, completando 64,4% dos passes com média de 7,6 jardas por tentantiva, resultando ainda em 21 touchdowns e 11 interceptações. Apesar dos números bons, foram apenas 6 vitórias e 9 derrotas nas 15 partidas que fez como titular. 

Para Kaepernick, poucos dias antes do início dos jogos de pré-temporada, resta esperar que mais uma vaga se abra na NFL.

Comentários

O desprezo continua: time da NFL prefere aposentado a quarterback que protestou em hino americano

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.