Fã de Pokémon e Dragon Ball, ex-meia de São Paulo e Cruzeiro sonha em ser ídolo no Japão

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br

Gabriel Xavier defende o Nagoya Grampus, da segunda divisão do Japão
Gabriel Xavier defende o Nagoya Grampus, da segunda divisão do Japão Divulgação

Emprestado pelo Cruzeiro ao Nagoya Grampus, da segunda divisão japonesa, até o final do ano que vem, Gabriel Xavier vive sua primeira experiência fora do Brasil. O meia com passagens por Sport, Portuguesa e São Paulo,  não teve dúvidas ao escolher o novo destino após jogar os seis primeiros meses de 2017 pelo Vitória.

"O que mais me motivou foi o projeto que o clube propôs para mim. Era muito tentador. Por ser um time grande no Japão tem uma estrutura fantástica. É um país que sempre mirei e tive referências boas. Tinha uma vontade de vir ao Japão. Tudo isso pesou na minha decisão", disse o jogador, ao ESPN.com.br.

"É um futebol mais rápido e com mais toque de bola. É um estilo que gosto bastante. Estou me adaptando mais rápido do que eu esperava. A maior dificuldade é o clima. É mais quente e abafado que no Brasil, mas logo me acostumo e isso não será mais um problema", garantiu. 

Além do lado esportivo,  Gabriel Xavier valoriza a experiência de vida que irá ganhar fora dos gramados.

"A cultura é bem diferente e estou gostando muito. A educação deles é fantástica. É um ganho para minha vida como cidadão. O que mais estranhei no começo é o jeito que eles se cumprimentam. Eles se curvam quando falam contigo. As mulheres ficam encurvadas até você sair. Seja no banco, no hotel, ou em qualquer lugar. Achei isso interessante", relatou.

Para se adaptar ainda mais rapidamente ao país, ele tenta incorporar alguns hábitos dos japoneses.

Gabriel Xavier tem 24 anos
Gabriel Xavier tem 24 anos Divulgação

"Eles têm o costume de chegar em casa e deixar o sapato em uma sapateira. Só andam descalço, de meia ou de pantufa para ficar em casa. Estou morando em uma casa sozinho. Às vezes eu esquecia, mas me policiava para voltar e fazer do jeito deles (risos). No Brasil eu também não comia a culinária japonesa, mas aqui eu aprendi a comer. Estou adorando mesmo".

A "Terra do Sol Nascente" faz o meia recordar de sua infância, quando era fã de seriados e desenhos japoneses. 

"Quando era criança eu curtia muito Pokémon e Dragon Ball Z. É bem legal estar no lugar onde eles foram criados. Você vê várias referências nas ruas, mas ainda estou me estruturando e não tive tempo de poder ver. Quando tiver um tempinho vou curtir essas coisas culturais do país", garantiu.

Em três partidas pelo Nagoya Grampus, Gabriel Xavier já tem um gol marcado na J-League 2. Na última partida, ele deu duas assistências na vitória sobre o Ehime por 7 a 4, no domingo.

"Meu objetivo neste ano é subir par a primeira divisão. Sem dúvida alguma meu sonho é ser ídolo da torcida e conquistar títulos. Estou fazendo meu trabalho para isso", garantiu.

  • Começo da carreira em São Paulo

Natural da Zona Norte de São Paulo, Gabriel Xavier começou aos cinco anos em uma escolinha chamada Bate Bola. Após passar pelo futsal do Barueri, ele foi para o futebol de campo no Pequeninos do Meio Ambiente, time da capital paulista.

O meia ainda passou um ano no campo do Corinthians enquanto conciliava com o futsal no São Paulo. Em 2005, ele foi saiu do Parque São Jorge e ficou em definitivo no clube do Morumbi.

“Fui para o São Paulo por causa da estrutura que o clube tem em Cotia. Isso me chamou mais atenção e também o fato da minha mãe ser são-paulina”, afirmou.

Gabriel Xavier jogou na base do São Paulo
Gabriel Xavier jogou na base do São Paulo Divulgação São Paulo

Gabriel jogou por sete anos no Tricolor ao lado de Rodrigo Caio, Casemiro, Ademílson e Lucas Moura.

“Foi um aprendizado muito grande na minha vida. Como ser humano foi importante e como jogador também. É uma escola que acrescenta muito. Eu disputei alguns torneios internacionais e fomos campeões da Copa Bicentenária no México, em 2010”, disse.

Antes de se profissionalizar, porém, ele saiu do time do Morumbi.

“Quando estava no Sub-20 do São Paulo, o meu contrato se encerrou e fui para a Portuguesa. O clube estava na Série A do Brasileiro e era perto da minha casa. No começo foi difícil porque tinha passado sete anos no São Paulo”, relembrou.

Gabriel Xavier se projetou na Lusa
Gabriel Xavier se projetou na Lusa GazetaPress

Gabriel foi promovido ao time profissional em 2013, mas fez apenas uma partida. No ano seguinte, ele jogou 39 vezes e virou um dos principais jogadores da Portuguesa.>

“Consegui me destacar no Campeonato Paulista e depois fiz uma boa Série B do Brasileiro. Apareceram várias proposta na época. Fiquei muito feliz com isso pelo reconhecimento do meu trabalho. Era uma coisa nova para mim”, analisou.

“A família foi importante para me dar uma base e não me iludir com as coisas. Fiquei realizado e tive um grande crescimento como profissional”, admitiu.

Em 2015, ele foi para o Cruzeiro e ajudou a equipe celeste a chegar até as quartas de final da Copa Libertadores da América.

“Nas oitavas de final da Libertadores contra o São Paulo eu bati o pênalti da classificação. Aquele momento foi bacana”, falou.

Ex-jogador da base do São Paulo, Gabriel Xavier fala sobre como foi eliminar o ex-time

Além disso, o meia ajudou a quebrar um tabu contra o maior rival pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. 

“Ganhamos um clássico contra o Atlético-MG por 3 a 1 no estádio Independência e fiz um gol. Fazia 11 jogos que não os derrotávamos. Foi bem marcante para mim e para a torcida”, relatou.

Gabriel Xavier pertence ao Cruzeiro
Gabriel Xavier pertence ao Cruzeiro Gazeta Press

No ano seguinte, com menos espaço na Toca da Raposa, o meia foi cedido ao Sport.

“Tive um ano muito bom e foi a temporada que mais joguei como titular. Foram 44 partidas e estava no meu auge fisicamente. Foi um momento muito importante para minha carreira”, analisou.

Neste ano, ele foi cedido para o Vitória. Gabriel Xavier permaneceu por seis meses no Barradão e foi campeão baiano antes de se mudar par o Nagoya Grampus, do Japão.

Comentários

Fã de Pokémon e Dragon Ball, ex-meia de São Paulo e Cruzeiro sonha em ser ídolo no Japão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.