De jogadas incríveis a quebra de recordes, The International chega à sua 7ª edição; relembre

Daniela Rigon*/ESPN.com.br

Evil Geniuses levanta o Aegis do International 5
Evil Geniuses levanta o Aegis do International 5 Valve

A sétima edição do International, ou "Mundial" de DOTA 2, está perto de começar, e nada melhor do que um "esquenta" relembrando momentos marcantes das edições anteriores do campeonato que tem a maior premiação de esporte eletrônico do mundo. Confira:

The International 1 (2011): Os primeiros campeões

A nova versão de Defense of the Ancients, modificação de mapa de Warcraft II, teve seu beta fechado e lançamento para o mundo em 2011. Para comemorar e apresentar o jogo ao mundo, a Valve realizou o primeiro torneio do jogo em agosto daquele ano. Ao todo, 16 equipes receberam o jogo antecipadamente para se preparar para o campeonato realizado na Gamescom, na Alemanha, valendo uma premiação total de US$ 1,6 milhão.

Com uma campanha invicta até a grande final, a grande vencedora e primeira campeã mundial de DOTA 2 foi a Natus Vincere, que ficou famosa pelo simpático Danil "Dendi" Ishutin. A grande final foi disputada entre Na`Vi e a chinesa EHOME, terminando com um placar de 2 a 1 para a equipe da Ucrânia.

Você pode saber mais sobre a trajetória de Dendi no documentário Free to Play, disponibilizado gratuitamente pela Valve em sua plataforma, o Steam.

The International 2 (2012): A Jogada

Apesar de não ter sido a grande vencedora do TI2, a Na`Vi foi mais uma vez protagonista de um momento marcante na história do competitivo de DOTA 2. Conhecido como "The Play", ou "A Jogada", o momento aconteceu durante uma partida contra a chinesa Invictus Gaming.

Na partida, a Dendi e sua equipe estavam em vantagem e empurravam a segunda torre do mapa inimigo quando a Invictus decidiu que era hora de tentar virar o jogo. Usando a Fumaça da Enganação, a famosa "Smoke", o time chinês ficou invisível para tentar pegar a Na`Vi por trás.

Começando a emboscada com a ultimate da heroína Naga Siren, que coloca os inimigos para dormir, mas os deixa imune a dano. Acreditando em sua jogada, a Invictus se prepara para atacar a Na`Vi, mas acaba ela mesma caindo em uma armadilha por conta da composição dos ucranianos.

Com dois heróis capazes de ficar imunes à habilidade mágica (Juggernaut, com a habilidade Blade Fury, e Enigma com o item Black King Bar), a Na`Vi não era um time fácil de ser morto rapidamente. Além disso, utilizar a ultimate da Naga Siren supõe que o time vai se agrupar em torno dos adversários para um ataque – o que é perfeito para o Black Hole de um enigma. E foi exatamente isso que aconteceu.

A Invictus começa bem a teamfight com habilidades de Dark Seer e a ultimate do Tidehunter, Ravage, mas como dois jogadores da Na`Vi estavam imunes à habilidades mágicas, os ucranianos conseguiram virar com um lindo Black Hole que pega em quatro dos cinco jogadores chineses. A partir daí, o Juggernaut utiliza sua Blade Fury para atacar os jogadores presos no "buraco negro".

Mas a parte mais incrível da jogada ainda estava por vir pelas mãos de Dendi. De Rubick, o jogador utilizou rapidamente o item Force Staff para escapar da ultimate do Tidehunter e, em seguida, roubá-la com a habilidade exclusiva do herói. Com isso, ele volta à luta e vira o feitiço contra o feiticeiro, utilizando a ultimate de Tidehunter a favor do seu time e abatendo toda a equipe adversária.

Infelizmente, nem “A Jogada” foi capaz de fazer a Na`Vi vencer, e a Invictus Gaming foi a grande campeã do TI2, iniciando a tradição de que, em anos pares, o vencedor do TI é sempre chinês.

The International 3 (2013): Dream Coil de Um Milhão de Dólares

Se você achou que a Na`Vi não participaria de mais um momento marcante, achou errado. No entanto, dessa vez, a equipe ucraniana estava do lado errado da história. Chamada de "Million Dolar Dream Coil", ou "Dream Coil de Um Milhão de Dólares", a jogada aconteceu na grande final do TI3 entre Na`Vi e Alliance.

No quinto e decisivo jogo da série, a Na`Vi estava dominando a partida e quase encostando os dedos em seu bicampeonato. Após um Roshan aos 35 minutos, os ucranianos partiram para abrir caminho na base da Alliance, enquanto, do outro lado do mapa, Henrik "AdmiralBulldog" Ahnberg (Furion), Jonathan "Loda" Berg (Chaos Knight) e Jerry "EGM" Lundkvist (Io) faziam um split push para também abrir caminho na base adversária.

Quando a Na`Vi decidiu que era melhor voltar e defender sua base, Gustav "s4" Magnusson utilizou a habilidade Dream Coil de Puck para atordoar Clement "Puppey" Ivanov  e impedi-lo de dar um teleporte para a base. Por sua vez, Dendi não tinha comprado um pergaminho de teleporte para sua Templar Assassin, e Alexander "XBOCT" Dashkevich  decidiu que era melhor caçar s4 ao invés de defender seu Ancient.

Com isso, a Alliance foi capaz de derrubar os quartéis do topo e do bot da Na`Vi e virar o jogo a seu favor. Enquanto isso, AdmiralBulldog forçou as torres do meio e mandou super creeps para dentro da base inimiga. Sem ter outra alternativa a não voltar para sua base e defendê-la, Puppey e Dendi começaram a teleportar – e foi aqui que aconteceu o "Million Dolar Dream Coil".

Utilizando a habilidade de Puck, s4 impediu o teleporte dos dois jogadores, dando tempo suficiente para que sua equipe destruísse a base da Na`Vi e levasse a premiação de US$ 1.437.190 – por isso o nome de "Um Milhão de Dólares".

Vale lembrar que o TI3 foi o primeiro evento em que a Valve utilizou financiamento coletivo para aumentar a premiação do torneio. Na época, 25% do lucro da venda do Compêndio Interativo levaram o prêmio dos inicias US$ 1,6 milhão pra US$ 2.874.380. O campeão ficou com 50% do valor.

The International 4 (2014): Roubando o Aegis sozinho

O ano de 2014 não teve participação da Na`Vi em seu grande momento. O protagonista deste ano foi a Team Liquid, que apesar de ter passado longe das finais, marcou sua passagem pelo TI4 com um belo roubo de Aegis e uma vitória contra a grande Evil Geniuses.

Em um jogo que estava pendendo com força para o lado da Liquid, a EG decidiu fazer o Roshan para assegurar o Aegis - um item "dropado" que pode ser utilizado para reviver um herói com toda sua vida e mana após uma eliminação. Entretanto, Peter "Waytosexy" Nguyen, da Liquid, acabou com a festa da EG.

Aproveitando a armadilha da Templar Assassin de sua equipe, que dava visão no pit do Roshan, Waytosexy mostrou maestria com seu Earthshaker. Pegando os adversários da EG com Fissure, o jogador usa sua Blink Dagger para chegar ao local e atordoa todo mundo com o combo de Enchant Totem e sua passiva. Assim, ele consegue matar o Roshan e roubar o Aegis.

Com o item, Waytosexy consegue voltar à vida após ser eliminado pela EG, já fora do atordoamento, e ganha tempo para que os companheiros de equipe cheguem para ajudar a encerrar a matança.

Como já demos de spoiler no início do tópico, a Liquid não chegou aos playoffs do TI4. O grande campeão do torneio, conforme tradição de anos pares, foi a chinesa Newbee.

The International 5 (2015): O Echo Slam de 6 Milhões de Dólares

Assim como em 2013, o momento de 2015 foi uma jogada decisiva na grande final que foi apelidada de acordo com o valor separado para o campeão. No TI5, a Evil Geniuses enfrentava a chinesa CDEC na grande final e conquistou o título do torneio com uma virada sensacional no Roshan.

No quarto jogo da série Melhor de 5, a EG estava relativamente bem na partida, mas corria o risco de levar uma virada caso a CDEC fizesse um Roshan e encaixasse uma boa teamfight em seguida. Com um jogador a menos no momento em que os chineses iniciaram o Roshan, a EG precisava pelo menos atrasar a finalização do objetivo, mas fizeram mais que isso.

Aproveitando a ultimate do Ancient Apparition (Ice Blast), que causa um "debuff" de dano por segundo nos atingidos e ainda dano em sua segunda fase, Saahil "UNiVeRsE" Arora "blinkou" para dentro do pit do Roshan com seu Earthshaker e utilizou o Echo Slam, pegando os cinco jogadores adversários em sua ultimate. 

Para quem não sabe ou esqueceu, atordoa por conta da passiva e dá um dano inicial de 270 que aumenta +70 de acordo com a quantidade de pessoas atingidas. Levando em conta que UNiVeRsE atingiu não apenas os jogadores adversários, como também o próprio Roshan, o total de dano que seu Earthshaker foi o suficiente para eliminar o maior número de oponentes e garantir a tão aguardada vitória no International. 

O bônus da jogada fica por conta do narrador Toby "TobiWan" Dawson, que não conseguiu controlar o tom de sua voz na narração e soltou o famoso "It's a disaster"", ou "É um desastre!".


The International 6 (2016): De rejeitados para vice-campeões

A grande história do TI6 teve a Digital Chaos como protagonista. A equipe, montada poucos dias antes do fechamento do período de inscrição de equipes para o competitivo de DOTA 2, surpreendeu a todos durante a competição.

Formada por "rejeitados" de outros times, a DC tinha em sua escalação Roman "Resolut1on" Fominok, único restante da formação anterior; Aliwi "w33" Omar e Rasmus "MiSeRy" Filipsen, dispensados de surpresa da Team Secret; e David "Moo" Hull e Martin "Saksa" Sazdov, vindos de times menores e mais desconhecidos. Com jogadores de diferentes locais do mundo, a equipe decidiu competir na América do Norte e logo começou a vencer campeonatos minor, deixando para trás nomes como complexity e conseguindo uma vaga para o Manila Major - quando terminou mal, em 9-12º lugar.

Em sua mistura de jogadores experientes que já haviam passado por outros mundiais e com a ajuda de uma comissão técnica forte, a Digital Chaos garantiu um convite direto para as qualificatórias do TI6, passando para a fase de grupos ao vencer a complexity por 3 a 2. Chegando na competição principal, o show começou. Os "rejeitados" caiu no Grupo B, com nomes antigos vencedores do TI, mas não se acuaram, abrindo caminho com  vitórias contra a  Team Secret, Newbee, Fnatic e Team Liquid, além de empates contra Vici.Gaming Reborn, MVP Phoenix e EHOME. 

"Quando as pessoas esperam menos de você, você joga melhor". Essa foi a resposta que w33 deu em uma entrevista durante o torneio para explicar o sucesso de sua equipe. Na mesma entrevista, o jogador afirmou que o grupo estava sendo realista e sabia que a formação tinha chances de chegar até o Top 8 e que isso já seria o suficiente. Entretanto, a Digital Chaos foi além.

Apesar de cair para a Wings Gaming na primeira rodada do Upper Bracket, a DC deixou para trás as asiáticas LGD Gaming, TNC Pro Team, EHOME e Fnatic até chegar à grande final da Lower Bracket contra a favorita Evil Geniuses. Vencedora do TI5, a EG caiu aos pés dos "rejeitados" e perdeu por 2 a 1, perdendo a chance de ser a primeira equipe bicampeã do torneio. 

Mesmo surpreendendo a todos, inclusive com o uso de jogadas fantásticas e inesperadas, a Digital Chaos não conseguiu quebrar a tradição da vitória de times chineses em anos pares, e a Wings Gaming foi a grande campeã do TI6 - uma bolada recorde de US$ 9 milhões do US$ 20,77 milhões da premiação. 

*Colaboração de Victor "Pew3x" Nonato

Comentários

De jogadas incríveis a quebra de recordes, The International chega à sua 7ª edição; relembre

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.