Liverpool consulta torcedores, e 88% aprovam volta de área para assistir jogos em pé; veja como vai funcionar

ESPN.com.br

Getty
O sistema de 'rail seating' do Celtic Park
O sistema de 'rail seating' do Celtic Park

Desde os anos 1990 os torcedores ingleses não podem assistir um jogo de futebol de pé, mas isso pode mudar.

O tema começa a ser debatido pelas entidades de futebol na Inglaterra e anima os amantes do esporte. Em uma pesquisa recente, 88.21% dos 18.000 fãs do Liverpool que participaram votaram em favor da criação de um setor especial para quem não quer ficar sentado durante 90 minutos: o chamado “rail seating” ("assentos com parapeito", em tradução livre).

A ideia é inspirada no modelo já utilizado por muitos clubes da Bundesliga e recém implementado no estádio do Celtic, que tem uma torcida mundialmente famosa por ser extremamente vibrante.

O clube escocês, inclusive, foi o primeiro no Reino Unido desde o início dos anos 1990 a ter em seu estádio um setor reservado aqueles que desejam assistir a partida em pé.

Desenvolvido na Alemanha, a arquitetura dos “rail seats” consiste em separar as fileiras de torcedores com parapeitos. Desta maneira, cria barreiras seguras atrás e na frente de cada indivíduo.

Assim, os corrimãos diminuem drasticamente a chance de queda durante a euforia de uma comemoração e dividem a arquibancada em fileiras, impossibilitando que alguma área fique superlotada.

Na Inglaterra, o novo White Hart Lane (estádio do Tottenham) já tem uma área que pode ser designada aos torcedores em pé, mas antes o “rail seating” precisa ser legalizado pelas autoridades locais.

  • 'Tylor Report' e a torcida do Liverpool

Em abril de 1989, 96 torcedores morreram no antigo estádio do Liverpool, na partida entre os donos da casa e o Nottingham Forest. O episódio ficou conhecido Desastre de Hillsborough, até hoje uma das maiores catástrofes da história do futebol.

Após investigações, foi publicado o Taylor Report, que culpava sobretudo a falta de policiamento do local e, dentre outras medidas, recomendava que todos os lugares dos estádios reformados para se assistir aos jogos sentado.

Desde o triste evento, todo dia 15 de abril é cercado de homenagens às vítimas da tragédia e é uma efeméride importante para a cultura futebolística inglesa, sobretudo aos torcedores do Liverpool.

Por isso, é extremamente simbólico o fato de ter sido a própria torcida dos “Reds” a conduzir a pesquisa sobre o assunto.

Cêrimônia de 25 anos da tragédia de Hillsborough une 24 mil torcedores em Anfield Road

Na consulta organizada grupo Spirit of Shankly (em portugês, 'espírito de Shankly', que foi um emblemático técnico da equipe na década de 1960), apenas 5,04% foram contra a medida, 4,8% queriam se informar melhor sobre a questão e 1,96% estavam indecisos.

  • Questão legal

Em março deste ano, a Sports Ground Safety Authority (SGSA), entidade governamental responsável por regulamentar a segurança nos estádios britânicos, admitiu iniciar um processo de implementação das áreas de “rail seating”.

Contudo, o governo ainda não tem prazo, tampouco planos concretos para regulamentar a questão. De qualquer forma, o debate está cada vez mais presente entre os clubes e entre as autoridades futebolísticas inglesas.