Formato do CBLoL foi definido em consenso entre equipes, jogadores e Riot, diz executivo

Rodrigo Guerra / ESPN.com.br
Brasil é a região no qual os jogadores profissionais participam de menos partidas oficiais
Brasil é a região no qual os jogadores profissionais participam de menos partidas oficiais Riot Games

Um assunto que girou na comunidade de League of Legends nas últimas semanas é o formato adotado pelo CBLoL. Após a alfinetada por parte da Riot Games da América Latina Norte, criticando os poucos jogos dos brasileiros, o ESPN eSports fez um levantamento que mostrou que os jogadores profissionais brasileiros são os que jogam menos partidas oficiais no mundo

Com isso em mente, procuramos a Riot Games do Brasil para saber se o cenário brasileiro pode passar por alguma mudança no calendário de 2018 e, de acordo com Philipe “PH” Suman, gerente de operações de ligas da Riot Games no Brasil, a escolha do formato foi decidido em consenso entre a Riot, equipes e jogadores.


Questionado o motivo pelo qual o CBLoL adota séries melhor de 2, Suman disse que “Dentre os muitos fatores que nos influenciam na escolha do formato, o principal é a experiência dos jogadores, que sempre será prioridade. Nossa meta é entregar a melhor competição para os fãs de eSports. Outro ponto importante é apoiar o desenvolvimento sustentável do cenário, ao lado dos times e jogadores profissionais, garantindo sempre a integridade competitiva. Por ora, existe um consenso entre equipes e pro players”. 

A escolha do formato não é unilateral, pois os times e jogadores também são consultados antes do início da temporada. “Vale ressaltar que, todos os anos, antes do início de uma nova Temporada, avaliamos o formato do campeonato, entre outras coisas. Não temos, por enquanto, uma definição de qual será o formato adotado no próximo ano e estamos abertos a ouvir a comunidade, as equipes e todos os envolvidos no cenário competitivo para mudar ou não a maneira como é organizado o torneio no Brasil”, explica o rioter.

“Todos os anos, nós dedicamos um período para reavaliar os vários aspectos de nossas ligas e planejar a próxima Temporada. Isso inclui questões como calendário competitivo, estratégia de eventos, mudanças no estúdio, alterações no regulamento e, é claro, formato das ligas. Estamos, no momento, reunindo informações necessárias para começar essas conversas internas da forma mais adequada possível. Não existe, porém, nada definido para o próximo ano”, disse Suman.

De acordo com o gerente, a desenvolvedora procura um formato que se encaixe com o cenário nacional. “Nosso desafio é escolher um formato que atenda todas as exigências do cenário local. Seja qual for o caminho escolhido, nossa preocupação sempre será a de garantir a integridade do campeonato no Brasil”.

Se, no futuro, todos os envolvidos chegarem à conclusão de que uma mudança pode ser positiva para o cenário competitivo brasileiro, certamente o formato será alterado

'PH' Suman, gerente de operações de ligas da Riot Games no Brasil


De qualquer forma, o ESPN eSports questionou se o fato de os jogadores profissionais brasileiros jogarem menos partidas do que os jogadores de outras ligas seria um fator que poderia enfraquecer nossa região em torneios internacionais. Segundo Suman, esse formato é pensado no cenário local de cada torneio.

“Cada região adota o formato que melhor se adequa ao mercado local. É por essa razão, inclusive, que cada liga tem a flexibilidade de repensar sua estratégia ao início de cada Temporada. Se, no futuro, todos os envolvidos chegarem à conclusão de que uma mudança pode ser positiva para o cenário competitivo brasileiro, certamente o formato será alterado”. 

Suman fala ainda que essa discussão não é alvo apenas no Brasil, mas em todas as regiões dos torneios de League of Legends. “É importante ressaltar, contudo, que os diferentes formatos são reavaliados, todos os anos, por todas as ligas. A mesma discussão que ocorre no Brasil também está acontecendo em outros países nos quais organizamos nossos campeonatos oficiais”.

Após uma pequena pausa para a execução do Rift Rivals, o CBLoL volta nesta semana. No sábado (15), a partir das 13h será transmitido o confronto do clássico entre paiN e Keyd, em seguida será a vez da Pro Gaming encarar a INTZ. No domingo (16) a transmissão abre às 13h com o embate para saber qual equipe ficará na última colocação no campeonato no embate entre CNB e TShow. Em seguida será a vez da Red Canids bater de frente com a líder, Team One.
 
Assim como em todas as etapas da fase regular do CBLoL, o ESPN eSports estará acompanhando todas as emoções diretamente dos estúdios da Riot Games para trazer as últimas novidades do torneio.

Comentários

Formato do CBLoL foi definido em consenso entre equipes, jogadores e Riot, diz executivo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.