Como Beira-Rio virou um pesadelo para o Inter na Série B

ESPN.com.br

Beira-Rio tem visto protestos após cada mau resultado do Inter
Beira-Rio tem visto protestos após cada mau resultado do Inter LUIZ MUNHOZ/Gazeta Press

Tentando voltar ao G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, e amenizar a crise que vive, o Internacional entra em campo neste sábado, às 16h30, para enfrentar o Criciúma. Por mais estranho que isto possa parecer, o fato do jogo acontecer no Beira-Rio pode ser visto como uma má notícia para a equipe colorada.


Jogando em casa, o Internacional tem apenas 40% de aproveitamento dos pontos e, se considerarmos apenas o rendimento de cada equipe como mandante, estaria na zona do rebaixamento. A história é oposta se analisarmos os números como visitante, onde o Inter tem o melhor aproveitamento da série B, tendo conquistado 61% dos pontos que disputou.

Até este sábado, foram cinco jogos no Beira Rio para o Inter. Vitória apenas contra o lanterna Náutico, na sexta rodada, na partida em que a arbitragem marcou quatro pênaltis para a equipe da casa. Além disso, o Inter acumula empates contra ABC, Juventude e Paraná, e a derrota para o Boa Esporte no último final de semana. 

As más apresentações no Beira Rio resultaram em um clima bastante ruim com a torcida. A cada mau resultado, um  novo protesto. No último final de semana, houve até confronto com a polícia.

Edenilson diz que Inter precisa ter medo de perder na Série B e tem coletiva interrompida por falta de energia
  • No primeiro jogo, trocaram até a porta

Depois de vencer a partida de estreia contra o Londrina, fora de casa, o Inter ficou apenas no empate em 1 a 1 contra o ABC, no primeiro jogo em casa. Depois da partida, além das vaias na saída de campo, um grupo de cerca de 30 torcedores se concentrou próximo à porta da sala de entrevistas e pedia a demissão de Antônio Carlos Zago.

A manifestação acabou atrasando a entrevista coletiva, já que os gritos atrapalhavam. A porta de vidro do local, que permitia os torcedores verem o que acontecia dentro da sala, foi trocada já para o jogo seguinte, sendo substituída por uma de material não translúcido.

  • Na estreia de Guto, “Time sem vergonha”
Guto Ferreira fala sobre tempo para encaixar trabalho: 'Torcedor tem que acreditar, momento de união'

Os pedidos pela saída de Zago foram atendidos após a derrota contra o Paysandu, na terceira rodada. Mas a chegada de Guto Ferreira não teve uma recepção calorosa. Após o 1 a 1 contra o Juventude, mais uma vez o Inter deixou o campo sob vaias.

Fora do estádio, mais uma vez um grupo de torcedores se concentrou para aguardar a saída de jogadores e dirigentes. Desta vez, os gritos não eram direcionados ao treinador, mas sim aos atletas, que ouviram o tradicional canto de “Time sem vergonha”, além de algumas ofensas.

  • Cadeiras no campo
Xingamentos e objetos arremessados: Torcedores do Internacional protestam após empate

Depois da “calmaria” com a vitória sobre o Náutico, um novo tropeço do Inter no Beira Rio resultou em mais confusão. Após o empate sem gols contra o Paraná, cadeiras foram quebradas nas arquibancadas e atiradas no gramado, além de uma confusão entre torcedores organizados do clube.

Do lado externo, o aglomerado de torcedores era maior que nas ocasiões anteriores. Posicionados em frente ao portão que dá acesso ao estacionamento, eles entoavam gritos de protesto contra o time, faziam ameaças a alguns jogadores e dirigentes, e chegaram a arremessar gradis colocados justamente para impedir o avanço das pessoas.

  • Na derrota, violência
Torcedores do Internacional protestam e entram em confronto com a polícia

Se no empate o clima era pesado, a derrota para o Boa culminou em violência. Mais uma vez os gradis foram arremessados, assim como garrafas de vidro. A depredação atingiu a área externa do Beira Rio, e até veículos de imprensa que estavam estacionados nas proximidades. 

A segurança particular, que estava dentro do estádio, saiu para ajudar. Houve confronto de torcedores com o contingente policial, e bombas de efeito moral, tiros de balas de borracha e spray de pimenta foram utilizados para dispersar a confusão.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL X CRICIÚMA

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Data: 08 de julho de 2017, sábado

Horário: 16h30 (de Brasília)

Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrades (ES)

Assistentes: Fabiano da Silva Ramires e Edson Glicerio dos Santos (Ambos do ES)

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Cláudio Winck (Fabinho), Klaus, Victor Cuesta, Uendel; Edenílson, Rodrigo Dourado, Felipe Gutiérrez, D’Alessandro; William Pottker e Nico López (Eduardo Sasha)

Técnico: Guto Ferreira

CRICIÚMA: Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Édson Borges e Diego Giaretta; Jonatan Lima, Barreto e Douglas Moreira; Fabinho Alves (Alex Maranhão), Lucão e Silvinho.

Técnico: Luiz Carlos Winck


Comentários

Como Beira-Rio virou um pesadelo para o Inter na Série B

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.